dez 192013
 

Ao menos durante quinze dias no mês, treze milhões de brasileiros levam a mão à cabeça e fazem caretas de dor. Além disso, 70% das mulheres no Brasil têm ao menos uma crise de cefaleia no mês, contra 50% dos homens, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCE).

Se, na maioria dos casos, um analgésico ou uma boa noite de sono pode resolver, em algumas situações a dor pode sinalizar que algo muito sério está acontecendo.

Veja abaixo quais são os “motivos inofensivos” e quando é hora de se preocupar com essa dor que incomoda tanto: Continue reading »

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 23:03
nov 052013
 
  Depois de inúmeras ações para comemorar o Outubro Rosa, que chamou a atenção de mulheres para a prevenção do câncer de mama, o foco agora são os homens! No mês de novembro, todo o mundo se une em prol da Campanha Novembro Azul*, cujo objetivo é alertar a classe masculina sobre a importância do exame para detectar o câncer de próstata – glândula do sistema reprodutor que armazena os líquidos.
A Oncomed BH, clínica especializada na prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer, referência no estado de Minas, adere à causa do Novembro Azul e participa de forma ativa com ações de valorização e conscientização dos homens. Durante todo o mês, a fachada da clínica será iluminada por refletores com a cor azul, chamando a atenção de todos para a campanha. Além disso, vão distribuir um broche, no formato de bigode e na cor azul (que remete à origem da campanha) para todos os pacientes, médicos e colaboradores. Também farão uma apresentação da Trupe da Alegria, grupo de colaboradores da Oncomed BH que se dedicam a animar as sessões de medicação dos pacientes da clínica, com números artísticos, como contadores de histórias, shows musicais e brincadeiras.
Dados do câncer de próstata
Pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), que entrevistou cinco mil homens, revelou que 47% dos entrevistados nunca realizaram exames para detectar o câncer de próstata, 44% jamais se consultaram com o urologista e 51% nunca fizeram exames para aferir os níveis de testosterona (hormônio masculino) no sangue.
Diante desses números, não é de se assustar que o câncer de próstata, hoje, seja o segundo que mais acomete homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Em 2012, foram diagnosticados 60.180 novos casos dessa neoplasia, segundo o último levantamento realizado pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA).
Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.
Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³ ) que não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.
Conversamos com o Diretor da Oncomed BH, Dr. Amândio Soares, que detalhou um pouco da doença:
Dúvidas básicas:
O que é o câncer de próstata?
Dr. Amândio: Câncer, também conhecido como neoplasia, é uma doença na qual ocorre um crescimento exacerbado e desordenado de algumas células. No caso do câncer de próstata, essas células são originariamente da próstata, e podem invadir os tecidos e órgãos e espalhar-se para outras partes do corpo, o que denominamos metástases.
Como se desenvolve?
Dr. Amândio: Habitualmente o câncer de próstata é uma doença indolente, de crescimento lento, habitualmente acometendo homens com idade acima de 50 anos. Embora não seja conhecida sua causa, é sabido que fatores genéticos estão envolvidos, sendo que homens com parentesco de 1° grau de neoplasia de próstata apresentam risco mais elevado de desenvolver a doença.
O que o paciente sente?
Dr. Amândio: Na fase inicial os pacientes não apresentam sintomas. Grande parte dos pacientes permanecerá assintomática ou terão sintomas urinários (dificuldade para urinar e aumento da freqüência urinária), posteriormente podendo evoluir para quadro de obstrução urinária, dor no reto ou óssea, fraqueza e desânimo.
Como se faz o diagnóstico?
Dr. Amândio: O diagnóstico de certeza é feito com a biópsia da próstata. Os pacientes que apresentarem no sangue aumento do antígeno prostático específico (PSA em inglês) e/ou alteração no toque retal são candidatos à realização de ultra-sonografia transretal com biópsia da próstata para verificar a presença da doença na próstata.
Como se trata?
Dr. Amândio: O tratamento do câncer da próstata é multidisciplinar, podendo envolver cirurgia, radioterapia, uso de hormônios ou quimioterapia. A escolha do tratamento ideal é feita dependendo do estágio da doença e das características de cada paciente.
Qual é o prognóstico?
Dr. Amândio: O prognóstico no câncer de próstata está relacionado com o estágio da doença ao diagnóstico, o tipo de câncer (existem alguns tipos mais agressivos que outros) e o estado geral do paciente.
Existe maneira de fazer o diagnóstico precoce do câncer de próstata?
Dr. Amândio: O diagnóstico precoce do câncer de próstata é feito através do uso da medida do PSA e do exame clínico periódico, como screening da doença. Entretanto, mesmo adotando esta prática para a detecção precoce da doença não foi observado que naqueles em que a doença foi diagnosticada mais precocemente a sobrevida elevou-se. É por esta razão que instituições como o Instituto Nacional do Câncer não recomenda a utilização do screening em câncer de próstata.
Existe cura para o câncer de próstata?
Dr. Amândio: Sim, em vários casos, quando a doença é diagnosticada em fase inicial e o tratamento é adequado.
Deve-se operar ou não?
Dr. Amândio: Se a neoplasia de próstata é diagnosticada em estágios iniciais, a cirurgia é uma das opções terapêuticas, assim como a radioterapia e a braquiterapia.
*A campanha teve início nos Estados Unidos, onde leva o nome de Movember – junção das palavras moustache (bigode, em inglês) e november (novembro).
Oncomed – Centro de Prevenção e Tratamento de Doenças Neoplásicas
www.oncomedbh.com.br

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 2:04
nov 052013
 

Se tem algo muito presente na vida dos jovens são as baladas. Eles se reúnem com cada vez mais frequência nos bares próximos às faculdades, nos postos de gasolina, nos bairros com tradição boêmia, e depois esticam nas baladas até amanhecer.

O que faz parecer uma vida cheia de emoção, representa, na verdade, um grande risco a essas pessoas – que provavelmente terão problemas de saúde muito antes do que seus pais. Também a aparência pode ser bastante comprometida, resultando em milhares de jovens adultos envelhecidos precocemente.

O cirurgião plástico Vitorio Maddarena Junior, diretor da Clínica Maddarena, em São Paulo, aponta cinco dos maiores ‘estragos’ que o excesso de cigarro, álcool e noites mal dormidas podem causar à aparência.

1. Olheiras e bolsas sob os olhos. “O primeiro sinal de uma noite mal dormida aparece no rosto. Normalmente, ficam mais evidentes olheiras e bolsas palpebrais. Se essa rotina se repete com alguma regularidade, os efeitos não costumam desaparecer com facilidade – nem quando a pessoa dorme além da conta para compensar.”

2. Pele sem brilho e ressecada. “O álcool desidrata o organismo, tendo efeito altamente prejudicial sobre o maior órgão do corpo humano: a pele. Com o tempo, ele priva a pele de nutrientes e vitaminas (principalmente a vitamina C) – acelerando o processo de envelhecimento. Já com relação ao fumo, existe até uma expressão para descrever o conjunto de características faciais que incluem rugas, sulcos, falta de brilho e tonalidade acinzentada da pele: ‘rosto de fumante’. O monóxido de carbono presente na fumaça do cigarro atua na redução do fluxo sanguíneo, deixando a pele seca e descolorida.”

3. Manchas e marcas na pele. “O cigarro faz com que manifestações de doenças autoimunes, como a psoríase e a dermatite atópica, ocorram com mais frequência, fazendo com que manchas e marcas estejam cada vez mais presentes e visíveis na pele das pessoas. Até mesmo as estrias são mais visíveis em pacientes fumantes.”

4. Rugas e pés-de-galinha. “Jovens fumantes, principalmente aquelas que também fazem uso de álcool e contraceptivos orais, costumam ter a aparência envelhecida antes de suas colegas que levam uma vida saudável. Esse quadro pode piorar se a paciente estiver acostumada a virar noites em claro, dormindo menos do que o necessário. A falta de sono, assim como o estresse, leva o corpo a produzir um hormônio chamado cortisol que eleva os níveis de açúcar no sangue. Além dos evidentes danos à saúde – principalmente ao coração – também pode acelerar o processo de envelhecimento, comprometendo o colágeno responsável por uma pele firme e sem rugas.”

5. Recuperação pós-cirúrgica mais lenta e problemática. “A nicotina causa vasoconstrição, que é o estreitamento dos vasos sanguíneos, limitando o fluxo de sangue rico em oxigênio para pequenos vasos no rosto e no corpo. Isso sinaliza que o tempo de cicatrização de um fumante é sempre maior do que o de um não-fumante. Por isso, além de normalmente necessitar recorrer a técnicas de cirurgia plástica antes dos demais, o fumante enfrentará mais problemas na cicatrização. Até mesmo cirurgias odontológicas e procedimentos periodontais acabam impondo mais sofrimento a esses pacientes. O quadro, certamente, será ainda pior se agravado pelo álcool e pela falta recorrente de sono. Os fumantes têm doze vezes mais chances de apresentar complicações em procedimentos cirúrgicos do que os não-fumantes.”

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 1:38
nov 052013
 

Muitas pessoas comem um prato enorme de macarrão e se sentem felizes com isso. Mas, cientistas da Harvard School of Public Health descobriram que este hábito traz, na realidade, mais malefícios que benefícios e pode causar aumento de recorrência de casos de depressão.

Segundo o Daily Mail, depois de 12 anos de estudos e observações referentes a 43 mil mulheres, eles concluíram que aquelas que comem muito carboidrato, carne vermelha, macarrão, pão e batata têm entre 29% e 41% mais chances de desenvolver depressão.

Por outro lado, eles descobriram que as adeptas de uma dieta rica em azeite de oliva, café, vinho e peixe têm menos chances de sofrerem da doença.

A relação exata entre carboidratos e depressão não foi estabalecida, já que os estudiosos não sabem dizer se o consumo é que provocado pela depressão ou se as pessoas que já têm a tendência recorrem a um prato de macarrão quando não se sentem bem.

De acordo com um estudo anterior desenvolvido pelo Massachusetts Institute of Technology sugeria que as pessoas recorrem aos carboidratos quando o hormônio do prazer, a serotonina, sofre quedas.

“Há muitos anos, descobrimos que as pessoas sofrem da “experiência universal do desejo de carboidrato” entre 15h30 e 17h todos os dias”, explica o estudo. De acordo com eles, a tradição cultural do chá da tarde inglês pode ser um dos motivos causadores deste ritual.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 1:36
out 302013
 

avcNo Dia Mundial de Combate ao AVC (acidente vascular cerebral), lembrado nesta terça-feira (29), especialistas alertam que a busca por atendimento médico de emergência logo após o aparecimento dos primeiros sintomas é fundamental. O atendimento rápido garante que a aplicação dos medicamentos ocorra antes de quatro horas e meia, período considerado chave para reduzir a mortalidade.

De acordo com a Organização Mundial de AVC, a doença é responsável por 6 milhões de mortes a cada ano.Dados do Ministério da Saúde mostram que entre 2000 e 2010, a mortalidade por acidente vascular cerebral no país caiu 32% na faixa etária até 70 anos, que concentra as mortes evitáveis. Apesar disso, só em 2010, mais de 33 mil pessoas morreram em decorrência de AVC nessa faixa etária. Continue reading »

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 13:29
jul 292013
 
BruxismoAs dores de cabeça podem aparecer em qualquer pessoa e pelas mais diversas causas, desde as mais simples até infecções mais complexas ou até causas psicológicas. E uma dessas causas pode estar diretamente relacionada com a ortodontia, ou seja, com o apertamento dos dentes, sendo conhecida como bruxismo.
O bruxismo é uma desordem funcional caracterizada pelo ranger ou apertar dos dentes durante o sono. Essa pressão pode provocar desgaste e amolecimento dos dentes e, nos casos mais graves, até problemas ósseos, na gengiva e na articulação da mandíbula (ATM) – e a dor de cabeça é um dos sintomas mais comuns do bruxismo. Continue reading »

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 12:52
jul 242013
 
Zumbido no ouvidoSom constante do canto de uma cigarra, do apito de uma panela de pressão, barulho do chuveiro, cachoeira, insetos em geral, etc. É assim que as pessoas que sofrem com zumbido no ouvido descrevem o som que ouvem diariamente, cada uma de uma forma diferente. Trata-se de um barulho que está sempre lá – que até pode passar despercebido às vezes, mas que em outras ocasiões chega a ser enlouquecedor, principalmente quando o indivíduo encontra-se em algum ambiente silencioso.
Classificado como um dos sintomas da perda auditiva, o zumbido atinge cerca de 17% da população mundial, de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, o que corresponde a cerca de 278 milhões de pessoas, – só no Brasil, o problema atinge cerca de 28 milhões de indivíduos. A maioria dos pacientes que sofre com o zumbido se refere a ele apenas como um incômodo. Porém, existem aqueles que relatam casos de real sofrimento, que pode acarretar em depressão, insônia, e consequentemente, afetar a qualidade de vida e prejudicar a capacidade de executar atividades rotineiras como trabalhar ou estudar.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 12:32
jul 232013
 
Prótese de silicone e amamentaçãoUma mulher, ao decidir por fazer a cirurgia de implante de silicone, sempre possui dúvidas quanto à isso. E uma das perguntas mais frequentes que envolvem essa cirurgia é o medo que muitas dessas pacientes têm de, no futuro, não poderem amamentar corretamente seus filhos devido à prótese.
Segundo o Dr. Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico da Clínica Michelangelo, de Curitiba – PR, o que gera essa dúvida nas mulheres é que, na maioria das vezes, elas não sabem realmente o local em que a prótese fica localizada após o implante. “Existem dois possíveis locais para o implante de silicone: Por trás do músculo peitoral (prótese submuscular) e por trás da glândula mamária (subglândular). Cada pessoa possui uma estrutura diferente da outra, e a escolha do implante depende disso para aumentar as chances de se obter um seio bonito, natural e firme”, explica Pacheco. Continue reading »

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 14:36
jul 232013
 
 No inverno cresce a incidência de pneumonia atípicaTosse, dor torácica, falta de ar e febre – todos são sintomas da pneumonia, mas podem ser o anúncio de algo mais grave: a chamada pneumonia atípica – nome dado à doença causada por micro-organismos não típicos, vírus ou fungos, em especial por uma mutação do coronavírus.
A modalidade atípica é contagiosa e provoca danos muito mais graves nos pulmões, dada a dificuldade de combate aos agentes causadores. Ela pode ser transmitida por gotículas e secreções da orofaringe, mas o estado imunológico do paciente, suas defesas locais e sistêmicas ditam o ritmo da evolução. Geralmente, ocorre de forma lenta com tosse seca ou com expectoração, dor torácica, febre e dispneia. “A pneumonia que conhecemos se manifesta usualmente de maneira abrupta”, esclarece o professor da Faculdade de Medicina da UnB e pneumologista do Hospital Anchieta Ricardo Martins. Continue reading »

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 14:11
jul 232013
 

Qual o efeito em nosso corpo das horas perdidas no trânsitoEm uma época onde as pessoas levam cada vez mais tempo sentadas no trânsito a caminho do trabalho e, ao chegar ao seu destino, permanecem outras longas horas na mesma posição, especialistas alertam para os riscos deste comportamento, tão comum no dia-a-dia da maioria dos profissionais. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostrou que chegar ao trabalho custa mais tempo nas regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro do que em Londres, Nova York, Tóquio, Paris e Santiago. Levam-se em média 43 minutos para chegar ao trabalho, sem contar a volta, 31% mais do que nas outras metrópoles do país.

O corpo humano não foi feito para ficar parado em uma mesma posição durante muito tempo. Mesmo com a postura correta, a falta de movimentação faz com que os músculos entrem em fadiga e provoquem dor. Dr. Paulo Ramos, especialista em coluna do Hospitalys, alerta que esse problema tem efeitos ainda piores em situações de postura incorreta.

- A posição sentada é a que mais força o disco vertebral, pois causa aumento de carga na região. Quando se está sentado, a coluna vertebral está submetida a um maior stress mecânico. Se a postura estiver errada, o quadro se torna muito pior – comenta o médico.

Para prevenir as incômodas dores, Dr. Paulo Ramos dá dicas simples: estar sempre atento à postura, fortalecer os músculos e se movimentar alternando a posição são algumas delas. Uma caminhada de cinco minutos a cada uma hora sentado é o ideal para evitar a fadiga muscular. “E, mesmo quando sentado, a pessoa deve movimentar-se. Pode-se mexer e esticar os joelhos, girar pés e tornozelos para os dois lados, fazer movimentos para cima e para baixo com as mãos ou alongar braços, ombro e pescoço. São atitudes aparentemente simples, mas eficazes para evitar dores”, explica Dr. Ramos.

O Hospitalys foi inaugurado em fevereiro no Jardim Botânico, Rio, e tem como meta ser a melhor opção de saúde privada do Brasil para pacientes adultos com lesões ortopédicas simples e complexas. Com a direção médica de João Grangeiro, chefe-médico do COB, a unidade tem parceria com o Hospital for Special Surgery, de Nova York e com a Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR).

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
 Posted by at 13:55