Cuide hoje do seu corpo de amanhã com Pilates

O livro “Brasil: uma visão geográfica e ambiental no início do século XXI”, lançado em 2016 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que, até 2050, a população idosa vai triplicar no país. Ela passará dos 19,6 milhões (10% da população brasileira), registrados em 2010, para 66,5 milhões de pessoas, em 2050 (29,3%). Estima-se, ainda, que em 2030 haja uma inversão no cenário demográfico e que o número absoluto e o porcentual de brasileiros com mais de 60 anos ultrapasse o de crianças de 0 a 14 anos, chegando a 41,5 milhões (18% da população) versus 39,2 milhões (17,6%), segundo estimativas do IBGE.

O Brasil está envelhecendo e apresenta uma crescente expectativa de vida. E, para ajudar os idosos a se cuidarem melhor nesta fase da vida, apresento um pouco do que aprendi durante os 20 anos de convivência que tive com a minha grande Mestra e amiga Romana Kryzanowska, que tinha uma paixão singular pelo Autêntico Método Pilates, um carinho e respeito supremo pelos idosos e pelo nosso grande Mestre Joseph Pilates, criador da Contrologia (Pilates).

Durante as nossas agradáveis conversas sobre bem-estar, saúde e o Método Pilates, Romana sempre fez questão de enfatizar o quanto o Sr. Pilates se preocupava em preparar as pessoas desde cedo para chegarem a esta fase da vida com uma saúde completa física, mental e emocional, assim como devolver aos que já se encontram nela a autonomia e a funcionalidade para fazer as atividades simples do dia a dia.

Joseph Pilates defendia que para termos uma longevidade física e mental é preciso nos atentar desde cedo a alguns aspectos importantes, como: conquistar e manter um bom condicionamento físico e mental por meio da Contrologia e de atividades físicas ao ar livre, tomar sol pela manhã, cuidar da alimentação, estimular a mente, organizar melhor a agenda para ter tempo para o lazer e a sociabilização, respirar melhor, ter um bom sono e desenvolver a espiritualidade.

Os exercícios físicos praticados de uma maneira sistemática estimulam os idosos nos aspectos físico, psicológico e social, já que essas atividades são consideradas como um possível agente antidepressivo. E, obviamente, também ajudam a estimular o relacionamento entre eles e seus familiares, amigos e sociedade em geral, melhorando a autoestima, a capacidade de aprendizagem e de treinamento da funcionalidade para que se sintam mais motivados e capacitados a fazer as simples atividades do cotidiano.

A realização de atividades físicas tem diversos objetivos para os idosos. Entre eles, destaco: melhorar as condições musculares e articulares, a flexibilidade, força, postura, coordenação motora e equilíbrio, desenvolvendo a autoimagem e a autoestima, que são importantes para preservar e promover a independência e autonomia das atividades da vida diária; beneficiar o sistema cardiorrespiratório, como a circulação periférica; auxiliar na prevenção da obesidade e da descalcificação óssea, evitando ou retardando o aparecimento da osteoporose; beneficiar os atos de caminhar, sentar, levantar, subir e descer escadas, aumentando o controle do corpo, do movimento e gesto motor; e fazer com que eles consigam se higienizar de uma maneira mais natural e prazerosa.

O Autêntico Método Pilates de Condicionamento Físico e Mental (ou Contrologia) foi criado por Joseph Pilates há mais de 100 anos para mudar o corpo e a vida dos praticantes por meio de um sistema complexo de movimentos seguros e eficazes que ajuda as pessoas a cuidar do próprio corpo e conquistar uma vida saudável e feliz em todas as idades. Por meio da prática que trabalha de forma global e integrada o corpo físico, mental e emocional, alunos a partir dos 10 anos conseguem melhorar postura, concentração, capacidade vascular e cardiorrespiratória, força, flexibilidade, resistência e controle motor, reduzir tensão muscular, estresse, fadiga e dores crônicas, eliminar as consequências do sedentarismo, reabilitar lesões e desacelerar processos degenerativos e de envelhecimento.

E no que o Pilates pode beneficiar especificamente seus praticantes da terceira idade? O envelhecimento leva as pessoas, com o passar dos anos, a terem uma perda acentuada da corporalidade saudável e o Método criado por Joseph Pilates retarda todo esse processo. Ele melhora os aspectos físico, psicológico e social e estimula a inteligência e a memória, deixando o envelhecimento mais lento, com pensamentos positivos, alegria e esperança.

O que fazer em caso de insônia

Se o sono está fragmentado, tem sonolência diurna, pouca energia, irritabilidade e/ou demora mais de 30 minutos para começar a dormir, e esses fatores se repetem pelo menos três vezes por semana durante três meses, é a insônia se manifestando como um transtorno.

Caracterizada pela dificuldade de iniciar o sono, de mantê-lo durante a noite ou pelo despertar precoce, a insônia afeta grande parte da população e pode acarretar problemas mais graves. Segundo a neurologista e coordenadora do Departamento Científico do Sono da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), Andrea Bacelar, muitas vezes, quando combinado com outro transtorno ou doença, como dores crônicas, nas artrites ou artrose, e transtorno de humor ou ansiedade, passa a ser chamada insônia comórbida, ou seja, insônia e outra situação acontecendo simultaneamente, uma piorando a outra. Comumente relacionada com a depressão, é de suma importância que não somente o humor, mas também o sono, sejam tratados para evitar complicações.

“Para que o tratamento seja eficaz, é essencial individualizar as queixas fazendo uma anamnese abrangente para definir outras possíveis situações agregadas à insônia”, indica a especialista.

O transtorno é mais comum em mulheres por influências genéticas, hormonais, culturais e cotidianas, como quando é submetida ao exercício de multitarefas, o que a sobrecarrega física e emocionalmente e dificulta o relaxamento para uma boa noite de sono. Muitas vezes, durante a gravidez, a dificuldade para adormecer também aparece, embora, nesse caso, seja transitório, decorrente de mudanças hormonais e do desconforto gerado durante o período gestacional.

Há diversas opções de tratamento para os que sofrem com o transtorno da insônia. As recomendações médicas vão desde terapias não farmacológicas atuando em hábitos e pensamentos inadequados que acabam perpetuando as manifestações da insônia até doses baixas de antidepressivos. “Os antidepressivos sedativos podem ser muito eficazes, funcionando como monoterapia, ou seja, um único remédio para resolver diversas questões, como, por exemplo, ansiedade, humor e até dificuldade para iniciar ou manter o sono”, avalia a especialista.

“Muitas vezes, o paciente se ajusta à insônia em vez de procurar ajuda. Tal escolha pode causar graves consequências, já que a insônia pode se tornar crônica e, uma vez que esse indivíduo adota meios inadequados para o tratamento, como álcool e tranquilizantes, sem recomendações médicas, pode acabar se tornando dependente do tratamento, e sem resolver o problema”, alerta Andrea Bacelar.

O tratamento não medicamentoso também é uma opção para quem sofre com o transtorno. Exercícios físicos, boa alimentação em horários habituais, evitar ingerir bebidas alcoólicas e com cafeína perto da hora de dormir, regularidade nos horários de se deitar e de se levantar e terapia cognitiva para insônia, cujo objetivo é eliminar crenças inadequadas sobre o sono, entre outros, possibilitam alívio e até resolução do problema. Pode-se, também, apostar em técnicas relaxantes, como ioga, acupuntura e meditações, que, embora não tenham comprovação científica, são grandes aliadas.

Asma é uma das principais causas de internação entre crianças e idosos

A asma é uma inflamação crônica das vias aéreas, que provoca estreitamento da passagem do ar nos pulmões, dificultando a respiração. Ela pode aparecer em pessoas de qualquer idade e, também, em qualquer época do ano. Segundo a Dra. Priscila Moraes, pediatra especialista em alergia e imunologia do Docway, a asma é uma das importantes causas de internação, principalmente em crianças e idosos. A asma não tem cura, mas tem controle, permitindo vida normal a seus portadores.

A especialista explica que a asma pode ser alérgica ou não, dependendo do tipo de resposta imunológica. “No caso da asma alérgica, o organismo cria anticorpos contra os agentes agressores, chamados alérgenos, os mais comuns são os ácaros (presentes na poeira caseira), cães, gatos e os fungos. Já a asma não alérgica também pode ser provocada por estímulos externos, como fumaças e cheiros fortes, mas por fatores irritativos, sem criar anticorpos contra isso”, detalha.

A asma pode ter manifestações diferentes nas crianças e nos adultos, pela diferença anatômica, pela exposição aos agentes externos e pela própria imunidade. Assim, a asma nas crianças tem como principal fator desencadeante as infecções das vias aéreas, e tendem a melhorar com a idade, já que vão ficando mais resistentes a infecções. No caso dos idosos, o pulmão pode estar comprometido com outros agentes agressores ao longo da vida, como a poluição, fumaça de cigarro, e a asma tende a ser mais persistente, piorando com estímulos irritativos.

“Os principais sintomas da asma são chiado, tosse, falta de ar, aperto no peito e cansaço aos esforços. Esses sintomas variam de intensidade ao longo do tempo, dependendo de fatores desencadeantes. Um importante aliado no combate a asma são os broncodilatadores, popularmente chamados de ‘bombinhas’, que ajudam na melhora desses sintomas após o uso”, comenta a Dra. Priscila. Atenção especial deve ser dada também aos idosos, que não percebem bem esses sintomas, pois acreditam ser normais para a idade. Crises de tosse, falta de ar aos menores esforços e despertares noturnos são sinais de alerta. Já as crianças apresentam alguns sinais, que podem ser identificados antes que se agravem, para que o atendimento adequado possa ser feito o mais rápido possível. “Crianças com sinais de desconforto respiratório apresentam batimento da asa do nariz, retração muscular nas costelas, aumento da frequência respiratória e chiado no peito. Quando conseguimos identificar o início da crise, podemos evitar o agravamento dela”, explica a médica.

Ainda segundo a médica, existem os tratamentos de alívio, que são aqueles de resgate no momento da crise, e os tratamentos a longo prazo, para reduzirem a inflamação dos pulmões. “Para alívio, são usados broncodilatadores de curta ação, que agem no momento da crise, como o salbutamol e o fenoterol. Dependendo da intensidade e frequência dos sintomas, é importante o tratamento com corticoides inalatórios, associados ou não a broncodilatadores de ação longa. Como exemplo, temos a budesonida e a fluticasona, que podem vir associados com formoterol ou salmeterol. Outros tratamentos também estão disponíveis, para casos mais graves”. Para os casos de asma alérgica, também existe a possibilidade de fazer imunoterapia, que é a “vacina” contra alérgenos, indicada após testes comprovatórios da alergia. “É sempre importante avaliação médica para determinar qual cada caso”, complementa a especialista.

Para amenizar os sintomas da asma, é fundamental seguir algumas dicas básicas, como manter-se longe do cigarro. “Se você fuma e seu filho tem asma, evite fumar perto da criança ou dentro de casa, se você tem certa idade e sofre com ela, é bom parar de fumar. Mantenha a casa limpa, para afastar possíveis desencadeantes das crises. Boa ventilação e exposição solar ajudam a renovar o ar e diminuir a chance de ter mofo no ambiente. Prefira passar pano úmido invés de varrer a casa. Aspiradores de pó com filtro de água ou filtro HEPA são melhores para reter ácaros”, sugere a médica. Outro ponto importante é manter a vacinação em dia, pois pessoas com asma tendem a apresentar mais complicações.

Cuidados e tratamento para dor pélvica crônica

A dor pélvica crônica (DPC) apresenta prevalência em torno de 16% na população feminina, afeta principalmente mulheres na idade reprodutiva e associa-se à disfunções físicas, emocionais, comportamentais e sexuais. A dor, sintoma mais frequente, muitas vezes possui caráter constante e pode piorar no período pré-menstrual e menstrual.

Várias são as causas de DPC, tais como: ginecológicas, urológicas, gastroenterológicas, musculares, vasculares e neurológicas, visto a pelve possuir diversas estruturas anatômicas. Entre as doenças que mais frequentemente determinam DPC tem-se: a endometriose, a síndrome do intestino irritável, a síndrome da bexiga irritável, vulvodinia, síndrome dolorosa miofascial e dor neuropática.

Dra Telma Mariotto Zakka, ginecologista com área de atuação em dor, coordenadora do Comitê de Dor Urogenital da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED) e responsável pelo ambulatório de dor pélvica crônica do Hospital das Clinicas da Universidade de São Paulo, explica que, muitas vezes, atribui-se à endometriose a causa das dores. “Entretanto, é muito importante considerar que 60% das pacientes com endometriose são assintomáticas, ou seja, não têm dor, portanto, é necessário considerar todas as estruturas presentes na pelve, não apenas o endométrio”, afirma.

Geralmente a dor na região pélvica é do tipo cólicas, latejamento, pontadas, de forte intensidade, que se associam à dificuldade para urinar e defecar, desconforto durante ou após as relações sexuais, sono não reparador, enxaqueca, ansiedade, depressão e dificuldade de concentração. De difícil diagnóstico e tratamento, 60% das pessoas que sofrem de DPC permanecem sem diagnóstico ao longo da vida.

No diagnóstico, é muito importante uma entrevista objetiva e detalhada para avaliar fatores de piora e melhora da dor, investigar doenças sexualmente transmissíveis, que aumentam em até quatro vezes o risco de DPC, investigar a possibilidade de violência sexual, moral e física. O exame físico minucioso, incluindo o exame ginecológico, é imprescindível para o diagnóstico da dor. O tratamento, sempre que possível, deve ser multidisciplinar, pois como se trata de uma região com muitas estruturas, com disfunções emocionais associadas, às vezes é necessário associar aos medicamentos, fisioterapia e psicoterapia. Os remédios que podem ser incluídos na rotina dos doentes são, por exemplo, antidepressivos, em pequenas doses, e analgésicos. “Proporcionam melhora da dor e da qualidade de vida, facilitando a realização das atividades da vida diária e profissionais”, completa a especialista.

Embora não seja uma regra, a ocorrência de abuso sexual, físico e moral na historia das mulheres com DPC é frequente, gerando quadro de depressão e ansiedade. Como a doença é mais incidente na faixa etária reprodutiva e produtiva, as atividades físicas, profissionais, sexuais e o lazer ficam prejudicados, determinando prejuízo para a saúde emocional e incapacidade em graus variados. A dor, maior fator incapacitante, piora para caminhar ou sentar, nos dias frios, com exercícios físicos, atividade sexual, na TPM, para urinar e ou evacuar, com condições emocionais, levando a pacienta à abandonar sua vida social, profissional e sexual.

“Apesar de se tratar de uma doença debilitante, é possível curá-la, desde que diagnosticada correta e precocemente. O projeto de cura deve ser bilateral, do paciente para com o médico e do médico para com o paciente, pois só assim estabelecemos medidas adequadas para reabilitá-la”, finaliza.

Pilates é exercício indicado para todas as idades

A prática do Pilates já existe há alguns anos, porém se tornou mais popular no Brasil de pouco tempo para cá, tendo início, principalmente, em clínicas de fisioterapia, muito por conta dos benefícios que a atividade traz à saúde. Apesar disso, com o tempo o Pilates ganhou espaço em academias, e embora tenha capacidades que se alinham com a melhoria de questões como o peso, em menor escala, o principal foco da modalidade de exercícios é alcançar uma compreensão corporal maior, condicionar o físico e a mente e obter controle sobre o corpo.

Os exercícios agem tonificando músculos, auxiliando no equilíbrio e coordenação motora, o que torna o Pilates uma prática que é boa em todas as idades. Isso porque as limitações físicas, no que tange à prática, estão muito mais ligadas ao costume e a respeitar os limites de cada corpo, do que em alguma dificuldade inata da idade. Podemos listar benefícios e cuidados que tangem a cada faixa de idade, entretanto lembramos que é importante ter o acompanhamento de um especialista, pois determinados exercícios podem se encaixar melhor nas limitações etárias de cada pessoa, sem esquecer que isso por vezes varia de pessoa para pessoa:

Pilates para crianças: a partir de 12 anos já é interessante praticar o Pilates. Isso porque crianças muito mais novas perdem a atenção e a concentração rápido devido ao estado mental em desenvolvimento. Assim, com 12 anos se tem uma noção de que a criança respeitará a atividade e com atenção receberá os benefícios. Como os exercícios tem baixo impacto, é importante saber que não há prejuízos em nenhuma idade, mesmo quando criança, porém o domínio de posições mais complexas vem com o aumento da flexibilidade. O benefício principal vem na melhora da coordenação motora, noção espacial, o que dialoga com a fase de aprendizagem primeira, além de contribuir para o alinhamento cervical, que é muito prejudicado por má postura, sobretudo por carregar mochilas, sentar errado na escola, etc. A prática previne desvios posturais, corrige desde cedo vícios e até ajuda na manutenção do peso nas fases de crescimento.

Pilates para adolescentes: a prática continua benéfica, sobretudo por ainda ser essa uma idade escolar, alguns dos problemas da infância ainda serem vigentes e, sobretudo, ser necessário um cuidado especial com o peso em uma fase de desenvolvimento. O Pilates ajuda a desenvolver bem o corpo na puberdade, pois com as mudanças, pode-se achar desconfortos na postura, sobretudo para os que crescem depressa, o famoso “estirão”.

Pilates na vida adulta: geralmente é aqui que mais se pratica o Pilates, buscando inclusive o embelezamento do corpo através de exercícios que ajudam a tonificar músculos, porém na vida adulta é quando mais temos que corrigir maus hábitos e problemas, sobretudo de coluna. Os ganhos na saúde são intensos, tanto para mulheres quanto para homens, embora no caso das mulheres haja a vantagem de o Pilates também ajudar na gestação.

Pilates na gestação: para tudo se deve consultar especialistas e médicos, mas em períodos de gestação isso ganha um ar de cuidado excepcional. Justamente por isso separei um item à parte. Geralmente se pode praticar o Pilates até o final da gestação, sempre mantendo acompanhamento médico. Ter uma rotina de exercícios melhora muito a saúde da mãe e do bebê. Os planos de exercícios para gestantes geralmente são diferenciados, ajudando inclusive com inchaço. Para as que praticam durante a gestação a recuperação também é mais rápida no pós parto. Passado o período de quarentena a mamãe já pode voltar para suas aulas normalmente.

Pilates para idosos: talvez uma das épocas da vida onde mais se tem a ganhar com o Pilates é a terceira idade. Com a idade vem a perda de tônus muscular e ósseo, isso é algo comum à idade, porém com maior consciência do corpo, melhoramento no equilíbrio e fortalecimento muscular, é possível compensar grande parte dessa perda natural, evitando quedas, melhorando a circulação, diminuindo espasmos musculares e a respiração. Até mesmo para quem tem osteoporose é possível ajudar a compensar fraqueza óssea com músculos mais fortes. O aumento da flexibilidade ajuda muito com dores nas costas, e acaba sendo ideal para se cuidar da saúde nessa idade.

Apesar disso, muitas vezes idosos são melhores no Pilates do que adolescentes. Uma posição pode ser feita por qualquer pessoa independente da idade. Isso porque o físico e as limitações são particulares de cada um. Apesar de ter exercícios que podem ser indicados pelo instrutor como melhores para cada idade, o Pilates é só se conhecer e respeitar seus limites, os ampliando com cuidado. Por isso acompanhamento médico e respeito aos limites, expandindo práticas com tempo e costume é muito importante.

Marcelo Tuccio é educado físico e sócio fundador da Action 360º, franquia paulista de estúdios de Pilates e Treinamento Funcional.

Dia do Pilates é comemorado pela primeira vez no Brasil

No dia 9 de outubro foi celebrado, pela primeira vez no Brasil, o Dia do Pilates, em homenagem aos 50 anos de legado de Joseph Hubertus Pilates, criador do método que leva seu sobrenome. Nesta data, mais de 300 studios pelo país fizeram atividades comemorativas como uma aula que seguiu o mesmo formato e sequência propostos originalmente por Pilates e que foi realizada simultaneamente em todos os locais participantes.

Essa foi a maior celebração do Método Pilates do mundo, organizada pelo The Pilates Studio Brasil (www.pilates.com.br), rede que está no país desde 1998 e que é a detentora da Contrologia, a autêntica metodologia de condicionamento físico e mental criada por Joseph Pilates há mais de 100 anos. “Manter os conhecimentos acumulados e organizados de forma integral e respeitosa com quem o construiu é o sentido profundo de manter o legado. O Pilates não é uma atividade física da moda, ele veio para ficar. Nos últimos 20 anos, foi a metodologia que mais cresceu no mundo entre as pessoas que procuram melhorar sua saúde e qualidade de vida”, destaca Inelia Garcia, diretora técnica da rede que conta com 47 unidades no Brasil, entre studios próprios e franqueados, quatro em Portugal e duas no Chile.

Ao longo do dia 9, foram realizados vários aulões nos studios em comemoração ao Dia do Pilates e sorteadas camisetas do evento, além de ter sido oferecido águas aromatizadas, maçãs frescas e frutas secas aos alunos. “Com esse primeiro evento, pretendemos que ainda mais pessoas tenham a oportunidade de vivenciar o método do Autêntico Pilates, que é referência no mercado, e seus benefícios”, diz a diretora do The Pilates Studio Brasil.

De acordo com a especialista, que é graduada em Educação Física pela Universidade do Chile, pós-graduada em Ginástica de Manutenção e Atividade Física, Saúde e Envelhecimento e mora há mais de 25 anos no Brasil, Joseph dizia que o primeiro quesito para alcançar a felicidade é um bom condicionamento físico, portanto o Pilates ajuda seus praticantes a serem mais felizes. “Hoje se reconhece e se valoriza o legado deixado por Joseph Pilates, por isso nada mais justo do que fazer essa homenagem após 50 anos da sua ausência. Esse dia ainda não é oficial, mas é o primeiro passo para que seja uma data comemorativa no calendário do país”, conclui Inelia.

Sobre o Autêntico Pilates

Joseph Pilates nasceu em 1880, na Alemanha, e, com uma saúde debilitada, dedicou sua vida a superar suas dificuldades. Inspirado em conhecimentos de civilizações da Antiguidade Oriental e Ocidental, estudou anatomia e fisiologia, desenvolveu exercícios, técnicas e aparelhos e criou o método que leva seu nome. Em meados do século XX conheceu a bailarina Romana Kryzanowska, que sofria com uma lesão no tornozelo, conseguiu recuperar-se por meio do Pilates e recebeu a incumbência de cuidar de todo o sistema e registros do seu legado antes de Joseph falecer, em 1967. Anos depois, a Grand-Master Teacher Romana formou Inelia Garcia e a nomeou Teacher of the Teacher para continuar sua missão no Brasil e na América Latina, capacitando profissionais para trabalhar com a metodologia.

O Autêntico Método Pilates de Condicionamento Físico e Mental (ou Contrologia) muda o corpo e a vida dos praticantes por meio de um sistema complexo de movimentos seguros e eficazes que ajuda as pessoas a cuidar do próprio corpo e conquistar uma vida saudável e feliz. Por meio da prática que trabalha de forma global e integrada o corpo físico, mental e emocional, alunos a partir dos 10 anos conseguem melhorar postura, concentração, capacidade vascular e cardiorrespiratória, força, flexibilidade, resistência e controle motor, reduzir tensão muscular, estresse, fadiga e dores crônicas, eliminar as consequências do sedentarismo, reabilitar lesões e desacelerar processos degenerativos e de envelhecimento. Mais informações em www.pilates.com.br