O que fazer em caso de insônia

Se o sono está fragmentado, tem sonolência diurna, pouca energia, irritabilidade e/ou demora mais de 30 minutos para começar a dormir, e esses fatores se repetem pelo menos três vezes por semana durante três meses, é a insônia se manifestando como um transtorno.

Caracterizada pela dificuldade de iniciar o sono, de mantê-lo durante a noite ou pelo despertar precoce, a insônia afeta grande parte da população e pode acarretar problemas mais graves. Segundo a neurologista e coordenadora do Departamento Científico do Sono da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), Andrea Bacelar, muitas vezes, quando combinado com outro transtorno ou doença, como dores crônicas, nas artrites ou artrose, e transtorno de humor ou ansiedade, passa a ser chamada insônia comórbida, ou seja, insônia e outra situação acontecendo simultaneamente, uma piorando a outra. Comumente relacionada com a depressão, é de suma importância que não somente o humor, mas também o sono, sejam tratados para evitar complicações.

“Para que o tratamento seja eficaz, é essencial individualizar as queixas fazendo uma anamnese abrangente para definir outras possíveis situações agregadas à insônia”, indica a especialista.

O transtorno é mais comum em mulheres por influências genéticas, hormonais, culturais e cotidianas, como quando é submetida ao exercício de multitarefas, o que a sobrecarrega física e emocionalmente e dificulta o relaxamento para uma boa noite de sono. Muitas vezes, durante a gravidez, a dificuldade para adormecer também aparece, embora, nesse caso, seja transitório, decorrente de mudanças hormonais e do desconforto gerado durante o período gestacional.

Há diversas opções de tratamento para os que sofrem com o transtorno da insônia. As recomendações médicas vão desde terapias não farmacológicas atuando em hábitos e pensamentos inadequados que acabam perpetuando as manifestações da insônia até doses baixas de antidepressivos. “Os antidepressivos sedativos podem ser muito eficazes, funcionando como monoterapia, ou seja, um único remédio para resolver diversas questões, como, por exemplo, ansiedade, humor e até dificuldade para iniciar ou manter o sono”, avalia a especialista.

“Muitas vezes, o paciente se ajusta à insônia em vez de procurar ajuda. Tal escolha pode causar graves consequências, já que a insônia pode se tornar crônica e, uma vez que esse indivíduo adota meios inadequados para o tratamento, como álcool e tranquilizantes, sem recomendações médicas, pode acabar se tornando dependente do tratamento, e sem resolver o problema”, alerta Andrea Bacelar.

O tratamento não medicamentoso também é uma opção para quem sofre com o transtorno. Exercícios físicos, boa alimentação em horários habituais, evitar ingerir bebidas alcoólicas e com cafeína perto da hora de dormir, regularidade nos horários de se deitar e de se levantar e terapia cognitiva para insônia, cujo objetivo é eliminar crenças inadequadas sobre o sono, entre outros, possibilitam alívio e até resolução do problema. Pode-se, também, apostar em técnicas relaxantes, como ioga, acupuntura e meditações, que, embora não tenham comprovação científica, são grandes aliadas.

Desintoxicar-se de sentimentos negativos melhora a saúde

Por razões de saúde, cada vez mais as pessoas estão se preocupando em desintoxicar e depurar o corpo. Mas, curiosamente, alguns dos problemas mais tóxicos que nos afetam consistem de estados mentais negativos.

Por exemplo, as pesquisas mostram cada vez mais os riscos que a irritação causa à saúde. Um estudo feito pela Universidade Estadual de Ohio constatou que as pessoas que tinham menos controle sobre a ira tendiam a curar-se mais lentamente de suas lesões. Em outro estudo, os pesquisadores concluíram que os problemas causados pela raiva estão associados a todas as principais causas de morte.

Para muitos, os sentimentos negativos podem, às vezes, acumular-se e chegar a níveis perigosos. Nesses casos, precisamos de um bom desintoxicante mental para eliminar emoções não saudáveis, tais como ciúme, estresse e irritação, que podem envenenar nossa boa índole, perturbar o equilíbrio mental e prejudicar a saúde.

Aqui estão algumas dicas úteis que descobri em minha prática espiritual e que são importantes na limpeza mental:

  • Não deixe que os ressentimentos se inflamem e cresçam: elimine-os com o perdão;
  • Limpe o ódio mediante o afeto e a compaixão;
  • Não fique remoendo os dissabores passados e substitua-os com a gratidão pelas coisas boas de sua vida hoje;
  • Não rememore a crueldade, em vez disso, pratique a empatia e a tolerância.

O Apóstolo Paulo dá uma lista de nove ingredientes importantes que ajudam a desintoxicar-se de qualquer forma de ódio: paciência, benignidade, generosidade, humildade, cortesia, desprendimento do ego, boa índole, lealdade, sinceridade. (Ver 1 Cor. 13: 5-8). Constatei que essas qualidades agem como antídotos contra a raiva e suas ameaças à saúde.

No início da minha prática da cura espiritual, fui visitar um homem que morava temporariamente em um motel, porque não tinha moradia. Ele estava sofrendo de extrema angústia mental e medo intenso. Conversei um pouco com ele, compartilhando ideias que eu esperava o acalmassem e confortassem, mas ele só ficou irracionalmente zangado comigo. Quando eu estava entrando no carro para ir embora, ele bateu a porta do carro na minha perna.

Enquanto empurrava com força a porta do carro, ele disse: “Vou empurrar esta porta até quebrar sua perna”. Eu apenas fiquei quieto. Logo, ele desistiu. Saí do carro e sentei-me com ele no estacionamento e ele falou comigo por mais de uma hora. Eu fiquei escutando e, em seguida, oramos juntos. Ele se acalmou e disse que só precisava de alguém para ouvi-lo e orar com ele. Quando fui embora, ele já estava bem melhor.

Logo depois, encontrou um apartamento pelo qual podia pagar e viveu lá muito bem por um bom tempo. Com essa experiência, aprendi a importância da paciência, do desprendimento do ego, da cortesia e da sinceridade (os frutos do Espírito) na desintoxicação de situações nocivas.

Se você estiver combatendo a raiva, o ciúme e o ódio ou conhece alguém que esteja, tente uma limpeza mental. Dê a si mesmo e ao outro uma boa desintoxicação mental com humildade, paciência, benignidade e amor. Veja por si mesmo como isso ajuda a eliminar o estresse e a conseguir uma saúde melhor.

* Thomas Mitchinson escreve sobre a relação entre o pensamento, a espiritualidade e a saúde como Comitê de Publicação da Ciência Cristã para Illinois.

Saiba como proteger da doença renal crônica

Os hábitos saudáveis reduzem os riscos de hipertensão e diabetes que podem levar ao desenvolvimento da doença renal crônica. Por isso, é importante evitar tabagismo, alcoolismo e hábitos alimentares que possam aumentar o risco do aparecimento destas complicações. Mais um fator a ser observado é o sedentarismo e fazer atividades que auxiliam na redução do estresse, também associado a enfermidades.

A nutricionista e pesquisadora da Fundação Pró-Rim, instituição referência no tratamento renal, Fabiana Baggio Nerbass, alerta que é preciso manter uma alimentação saudável, sempre que possível dar preferência aos produtos frescos como legumes, frutas e verduras, grãos, carnes e laticínios que não foram submetidos a nenhum procedimento de transformação, como adição de açúcar, sal e outros aditivos químicos.

E, quando consumir alimentos processados, o ideal é preferir aqueles que tenham o menor número de substâncias adicionadas e opte sempre que possível pelos que tenham menor quantidade de sódio. A recomendação é da baseada no Guia Alimentar para a População Brasileira, publicado pelo Ministério da Saúde.

Segundo ainda a nutricionista, além de praticar uma alimentação saudável é fundamental orientar os filhos a consumirem refeições mais ricas nutricionalmente e evitar que eles passem muitas horas na frente de equipamentos eletrônicos, em estado sedentário, consumindo produtos muito calóricos e com alto teor de sódio. “Quando estamos distraídos, costumamos não prestar atenção no que e no quanto estamos comendo”, alerta.

Fabiana chama a atenção para a importância de valorizar os alimentos e preparações de cada região que, pela proximidade ao consumidor, geralmente são mais frescos e adaptados ao paladar local e dá uma dica importante: “procure fazer suas refeições com a família ou com os amigos, apreciando sempre o momento e o sabor dos alimentos”.

ODebate.com.br

Mitos e Verdades sobre os cuidados com os olhos

As pessoas costumam se preocupar com o cuidado com a pele e até mesmo das unhas, mas poucas são aquelas que cuidam da saúde ocular. Isso porque, cuidar da saúde dos olhos vai além de ir ao médico para saber se é necessário usar óculos ou não. A oftalmologista Dra. Márcia Tartarella esclarece alguns mitos e verdades sobre o tema e dá dicas que fazem a diferença no dia a dia.

  1. O sono influencia diretamente na saúde ocular. VERDADE: O sono e as horas dormidas influenciam no cansaço do corpo e também dos olhos. Dormir menos de oito horas, que é o recomendável, pode causar vermelhidão ocular, secura dos olhos, ocasionando dor e forte incômodo ao abrir os olhos ou na luz, vista cansada e inchaços palpebrais.
  2. Bebidas alcóolicas causam problemas oculares. VERDADE: Apesar das bebidas alcoólicas serem metabolizadas pelo fígado, elas produzem resíduos tóxicos, o que favorece o envelhecimento precoce das células oculares. Além disso, o álcool causa desidratação, afetando também os olhos e deixando-os muito vermelhos. O mais importante a saber é que o álcool em excesso pode causar cegueira progressiva e irreversível por atrofia do nervo óptico. No caso das gestantes, o uso de álcool deve ser abolido, pois pode causar várias deficiências no bebê, inclusive cegueira.
  3. A visita ao oftalmologista só é obrigatória para quem tem problemas de visão. MITO: É importante ressaltar que a visita rotineira ao oftalmologista é a melhor forma de prevenir problemas de visão. E isso não vale apenas para os que já utilizam óculos e precisam atualizar o grau, mas também para avaliar a qualidade da visão e as condições oculares. A medida da pressão ocular deve ser realizada de rotina a cada ano, a partir dos 40 anos, ou até antes, se houver histórico de glaucoma na família.
  4. A consulta com o oftalmologista é extremamente importante para quem já tem problemas de saúde como diabetes e pressão alta, a fim de evitar possíveis complicações graves na visão ocasionadas por estas doenças. Os usuários de lente de contato também devem manter visitas rotineiras no oftalmologista para evitar problemas futuros na córnea. A prevenção é a melhor opção para promover a saúde ocular!
  5. Quanto maior a exposição às telas de smartphones, tablets, televisões e computadores, maior a probabilidade do surgimento de problemas na visãoVERDADE: Os dispositivos eletrônicos emitem radiações e uma luz que é nociva à saúde ocular: a famosa Luz Azul. A exposição a esses raios por períodos prolongados, principalmente pelos jovens, traz danos a médio e longo prazo para a visão. A Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica recomenda que crianças menores de 2 anos de idade não usem aparelhos eletrônicos com telas. Para se proteger deles, uma das formas mais eficazes é utilizar lentes fotossensíveis que contam com filtros contra a luz azul nociva, como as da Transitions, que ajudam na proteção contra problemas oculares.
  6. Proteção solar para os olhos é frescuraMITO: Não é segredo que os raios UV são prejudiciais à saúde, principalmente às células da retina. Por isso, é importante redobrar a atenção e criar o hábito de cuidar dos olhos como se cuida da pele quando se trata de exposição ao sol. A incidência de raios UV diretamente nos olhos pode provocar catarata precoce, desenvolvimento de doenças degenerativas e envelhecimento precoce da retina. Por isso, o mais recomendado é fazer o uso diário de óculos com lentes fotossensíveis, com a proteção necessária contra esses raios nocivos. Além de possuírem filtros contra os raios UV, as lentes fotossensíveis também cuidam da sensibilidade dos olhos na claridade e ajudam na adaptação a diferentes momentos e contrastes luminosos do dia.
  7. Tempo seco resseca os olhos e prejudica a visão a longo prazo. VERDADE: A baixa umidade do ar causa irritação, ardência e vermelhidão ocular, por agravar a evaporação da lágrima. Ventiladores e ar condicionados devem ser evitados, pois ressecam ainda mais os olhos. Neste caso, o uso de colírios lubrificantes, conhecidos como “lágrimas artificias” são recomendados. A falta de cuidados pode acarretar no desenvolvimento da Síndrome do Olho Seco que, se não tratada corretamente, pode levar a ulceração das córneas ou perda de visão.
  8. Hábitos alimentares não influenciam na saúde dos olhos. MITO: Os hábitos alimentares influenciam todo o organismo, inclusive os olhos. Por isso, escolher os nutrientes corretos pode ajudar a prevenir o surgimento de doenças oculares. A ingestão de vegetais verdes escuros é indicada, pois eles fornecem vitaminas benéficas para a retina. Outros alimentos que fazem bem à saúde ocular são a laranja, salmão, pimentão vermelho, azeite de oliva, abóbora, abacate, manga, nozes, amêndoas e principalmente ovo e cenoura.
  9. Coçar os olhos é inofensivo. MITO: A cada contato das mãos com os olhos, existem milhares de oportunidades de acontecerem micro lesões e, também, a contaminação por diversas doenças infectocontagiosas que podem causar conjuntivites ou outras infecções oculares mais graves. Vale lembrar que coçar os olhos com frequência e com força pode ocasionar uma deformidade em forma de cone na córnea, evoluindo muitas vezes para altos graus de miopia e astigmatismo, ou até para uma deformidade mais grave como o ceratocone. Portanto, é extremamente importante evitar coçar os olhos! No caso de alergias e fadiga ocular, que também podem levar à coceira crônica, deve-se buscar um oftalmologista.

Sobre a Transitions Optical

A Transitions Optical é líder mundial na produção de lentes fotossensíveis (adaptáveis) para os fabricantes ópticos em todo o mundo. Em 1990, foi pioneira na fabricação e comercialização de lentes adaptáveis de resina. Como resultado do seu investimento contínuo em pesquisa e desenvolvimento tecnológico, a Transitions Optical oferece uma ampla variedade de produtos, estabelecendo novos parâmetros de performance em proporcionar cada vez mais conforto e proteção UV para a visão.

Começa a temporada de alergias respiratórias no Brasil

A nova estação ainda não chegou, mas os primeiros dias de maio já registraram temperaturas amenas em diversas regiões do país. O inverno, época detestada por quem sofre com alergias respiratórias, só começa em 20 de junho, porém, segundo o site Clima Tempo, os próximos dias já terão cara da estação.

Uma frente fria deverá chegar ao país no dia 15, e o frio – grande irritante respiratório – continuará a ser sentido a partir de 18 de maio. É, portanto, hora de tirar aqueles casacos guardados no armário desde o último inverno, provavelmente impregnados de ácaros e poeira – grandes inimigos dos alérgicos.

A proximidade do inverno é mesmo um pesadelo para quem já sofre de alergia o ano todo. Além das baixas temperaturas (que irritam a mucosa respiratória), o período normalmente apresenta baixa quantidade de chuvas e ventos, dificultando a dispersão de poluentes e tornando o ar mais seco e poluído. Segundo o coordenador técnico do projeto social Brasil Sem Alergia, o médico Marcello Bossois, a junção desses fatores facilita o desenvolvimento de inúmeros processos alérgicos. “Estima-se que as alergias respiratórias aumentem 40% durante a estação”, alerta o alergista.

A asma e a rinite são as alergias mais comuns nesta época. No Brasil, cerca de 20 milhões de pessoas convivem de forma persistente com asma, enquanto a rinite afeta aproximadamente 26% das crianças e 30% dos adolescentes. A asma é a quarta maior causa de hospitalização, resultando em cerca de 400 mil internações por ano em todo o país (Datasus, 2001). Anualmente mais de 250 mil pessoas morrem em decorrência da doença ao redor do mundo, com base em dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

E uma alergia pode se tornar algo bastante preocupante, já que a doença aumenta muito as chances de uma infecção secundária. De acordo com dr. Bossois, uma alergia de fundo respiratório mal cuidada pode provocar, por exemplo, uma grave bronquite crônica caso a inflamação da mucosa respiratória e o acúmulo de secreção nas vias respiratórias se mantenham por um longo período. “Aproximadamente 35% da população mundial apresentam alguma forma da doença, então é muito importante que todos estejam atentos aos primeiros sinais de uma alergia respiratória, que poderá se manifestar através de espirros constantes, tosses e falta de ar”, adverte o especialista.

Prevenção de Alergias Respiratórias

Sete dicas para prevenir as alergias respiratórias:

  • Forrar colchões e travesseiros com material impermeável;
  • Umidificar as narinas constantemente com soro fisiológico;
  • Beber bastante água;
  • Evitar locais fechados e com pouca ventilação por longos períodos;
  • Retirar de casa tudo que acumula mofo e poeira (bichos de pelúcia, jornais velhos e cortinas de pano);
  • Usar produtos de limpeza biodegradáveis;
  • Eliminar cigarro, principalmente dentro de casa.

Sobre o Brasil Sem Alergia

Com mais de 150 mil atendimentos gratuitos já realizados – superior à população de Resende (RJ), o Brasil Sem Alergia é um projeto social que oferece diversos procedimentos de prevenção, combate e controle de processos alérgicos e de doenças ligadas ao sistema imunológico. Com três postos na Baixada Fluminense (Duque de Caxias, Xerém e Nova Iguaçu), um na Zona Oeste do Rio (Realengo) e uma quinta unidade na Região dos Lagos (Iguaba Grande), a equipe da ação social oferece gratuitamente testes alérgicos, atendimento médico, orientação multidisciplinar e exame de espirometria (teste de sopro) para o diagnóstico de alergias respiratórias. O projeto está à disposição de toda a população do Rio de Janeiro de segunda a sábado, com agendamento através dos telefones (21) 3939-0239 ou (21) 2652-2175.

A era da síndrome da visão do computador

A síndrome da visão do computador está aqui para ficar, os oftalmologistas devem estar preparados para aliviar os sintomas

Num artigo muito interessante, publicado no Healio, Ocular Surgery News, o oftalmologista Mitchell A. Jackson conta que seu filho de 17 anos de idade assinou, recentemente, um contrato profissional para ser jogador de videogame e irá participar da maior competição mundial de computadores. Ele assinou com o Team Liquid, em Los Angeles, e participará, juntamente com mais dez jovens americanos, do Campeonato Mundial na Ásia ainda neste ano. No ano passado, essa competição foi vista por 27 milhões de pessoas no mundo, 13 milhões a mais do que viram a World Series no mesmo ano. A World Series é a série final do campeonato de beisebol da Major League Baseball.

As vantagens profissionais que este adolescente terá com eGamer não são diferentes do que a de um jogador profissional da NBA, quando o jogador atinge status profissional. A boa notícia é que, nesta época de tensão ocular digital, a carreira de eGamer pode valer a pena para o adolescente e os oftalmologistas estão cada vez mais mergulhados nas possibilidades terapêuticas para tratar a síndrome da visão do computador (CVS).

“Por definição, a síndrome da visão do computador (CVS) é uma condição que normalmente ocorre devido ao esforço excessivo para focar em um computador ou dispositivo semelhante (iPad, tablet, smartphone) de uso prolongado por períodos ininterruptos de tempo. Os sintomas da síndrome da visão do computador incluem astenopia, dores de cabeça, visão flutuante, olhos secos, olhos vermelhos e / ou diplopia”, afirma o oftalmologista Virgílio Centurion (CRM-SP 13.454), diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.

De acordo com o Instituto Nacional de Segurança e Saúde Ocupacional, a síndrome da visão do computador afeta cerca de 90% das pessoas que passam 3 horas ou mais por dia no computador. “O olho seco evaporativo é provavelmente o problema ocular mais comum nos consultórios, relacionados com a síndrome da visão do computador. Não só a síndrome da visão do computador causa o olho seco evaporativo, como também o olho seco exarceba os sintomas da síndrome da visão do computador, criando um ciclo vicioso para o paciente”, explica a oftalmologista Sandra Alice Falvo (CRM-SP 59.156), que integra o corpo clínico do IMO.

Tratamentos

“O tratamento padrão da síndrome da visão do computador se inicia com lágrimas artificiais que contêm uma formulação à base de óleo. A regra de 20/20/20 também é ensinada aos pacientes com síndrome da visão do computador . Nós os ensinamos a focar sobre um objeto a 20 cm de distância, por 20 segundos, a cada 20 minutos, ao fazer as tarefas que exigem o uso da visão de perto, especialmente no computador”, diz Falvo.

Para aqueles pacientes que tem pré-presbiopia, os óculos de leitura podem ser úteis para aliviar alguns dos sintomas da síndrome da visão do computador . Para aqueles que utilizam dispositivos digitais, ajustar a configuração no visor podem reduzir a fadiga ocular causada pelo brilho / contraste.

“Quando a presbiopia é corrigida cirurgicamente, a luz solar natural e o brilho das lâmpadas de LED oferecem aos pacientes uma melhor capacidade de visão de perto no pós-operatório, especialmente após a colocação das lentes intraoculares”, informa a oftalmologista.

O impacto de estrabismo e / ou ambliopia interferem no pré-operatório da presbiopia, por isso as expectativas do paciente devem ser esclarecidas no pré-operatório. “É preciso ser realista e saber o nível de visão não corrigida que pode ser obtido no pós-operatório. Pacientes que operam a catarata também podem ter a presbiopia corrigida em ambos os olhos por meio do implante de lentes intraoculares”, diz a médica.

As tarefas de visão de perto diárias de ambos os pacientes cirúrgicos e não-cirúrgicos são testadas pelas longas horas que a maioria de nós gasta em computadores e em outros dispositivos eletrônicos. “Certos aplicativos também estão disponíveis para ajudar a aliviar a síndrome da visão do computador e ajudar na melhoria da visão de perto após o implante de LIO para correção da presbiopia, tais como GlassesOff. Por uma pequena taxa, os pacientes podem usar este aplicativo em seus smartphones para melhorar continuamente a sua visão de perto não corrigida”, conta Sandra Falvo.

“Nesta época de tensão ocular digital, a síndrome da visão do computador está aqui para ficar, quer queiramos ou não, e temos de estar preparados para aliviar a sintomatologia associada com estas condições, tanto no pré-operatório, quanto no pós-operatório de diversas condições oftalmológicas. O caminho é conversar com o paciente e conhecer as expectativas dele sobre sua visão de perto para realizar suas demandas diárias. A síndrome da visão do computador vai desafiar nossas tecnologias mais avançadas, mas usando as estratégias acima mencionadas e contando com a evolução das neuroadaptações poderemos ofertar mais conforto aos pacientes”, diz Virgílio Centurion.

Portal Nacional de Seguros

Casos de doenças respiratórios aumentam no outono

O outono é uma das estações mais complicadas para quem sofre com doenças respiratórias. Entre as causas está o fato das pessoas ficarem mais em ambientes fechados, além da baixa umidade do ar que é típico neste época “Rinite, sinusite, e faringite são as doenças respiratórias mais comuns da estação”, diz a médica otorrinolaringologista do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), de Curitiba, Dra. Eliza Mendes.

O índice de incidência das doenças respiratórias nessa época, aumenta em 40%, assim como o número de atendimento nos centros de saúde, segundo a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF). “Elas são desencadeadas por resposta alérgica ou agentes infecciosos”, destaca a Dra Eliza.

As doenças respiratórias, acometem o nariz, seios paranasais, faringe, laringe, brônquios, e pulmões. O tratamento deve ser individualizado e pode variar – com medidas simples, como controle ambiental, uso de medicamentos ou até mesmo cirurgia. “Somente com avaliação médica adequada é possível definir o melhor tratamento”, comenta a médica.

Quando os pacientes não melhoram com os tratamentos habituais, é possível fazer testes específicos para investigar a causa da falha no tratamento. “A imunoterapia, uso de vacina que estimula o sistema imunológico, pode ser muito útil no combate das rinites de difícil controle”, explica a otorrinolaringologista.

Nos casos de sinusites de repetição é necessário fazer investigação detalhada, com exames de tomografia computadorizada de seios paranasais e nasofibroscopia (endoscopia nasal). “É importante também evitar o uso indiscriminado de antibióticos, pois o uso abusivo pode causar resistência bacteriana, dificultando ainda mais o tratamento”, alerta a otorrinolaringologista.

O ácaro é o principal causador da rinite alérgica. A otorrinolaringologista do HNSG, Dra. Eliza Mendes, dá dicas para se livrar deles:

  • Em casa é importante manter os ambientes livres e arejados. Remover cortinas com muitos detalhes, tapetes, ursinhos de pelúcia, são medidas de controle ambiental muito úteis para a diminuição e controle dos ácaros.
  • É importante dar preferência para pisos laminados, sem carpetes.
  • O uso de capa para colchão é aconselhável, pois os ácaros se alimentam da descamação da pele humana. A capa do colchão deve ser lavada semanalmente.
  • As cobertas devem ser expostas ao sol sempre que possível.
  • Deve-se usar pano úmido para a limpeza e remoção do pó.

Com esses cuidados básicos você pode curtir essa época do ano sem alergias respiratórias.

 

Beber água é chave para a longevidade

Um caminho simples para viver muito e com qualidade – longevidade – é conseguido quase sem esforço (dizemos quase porque passamos 2015 apertados): bebendo muita água e usando a água a nosso favor. Os gerontólogos da consultoria Velhice com Carinho alertam que brasileiros tem substituído em muito a água por outros líquidos, numa conduta que pode trazer problemas tanto para idosos quanto para quem é mais jovem.

“Beber água é muito bom, e só não é indicado para quem tem problemas renais; todas as outras pessoas, em qualquer idade, devem usar e abusar deste ótimo recurso”, afirma Suyen Miranda, gerontóloga responsável e que dá as dicas de como aproveitar bem este recurso tanto para a terceira idade quanto em todos os momentos:

Para quem quer emagrecer, a dica é beber água quando sentir a sensação de fome. Muitas vezes o que parece ser aquela fome intensa é a necessidade orgânica de água, que gera o mesmo impulso cerebral da fome. Não fique preocupado pensando que irá morrer de desnutrição por beber água – se após o primeiro copo a sensação voltar, é fome e trate de se alimentar direito! Caso contrário, era a sede se disfarçando de fome, algo muito comum.

Quanto beber no dia a dia?
Se um litro for muito para você, comece bebendo 500ml, de forma limpa (sem ser suco ou adoçada, ou como chá) e acrescente sucos, chás e líquidos na alimentação.

Ao começar a beber mais água seu organismo irá sinalizar o quanto gosta de receber a cada dia; para quem é idoso, muitas vezes este alarme natural não funciona tão bem, então fica a referência de um litro e meio ao menos diariamente. Se pedir mais, excelente, beba mais água.

Outra dica é ver a cor da urina: quanto mais amarelo clara ela for, melhor – sinal que a ingestão de água está equilibrada. Urina muito amarela ou transparente aponta que há falta ou excesso.

Beber água e dormir, isso dá certo?
Para muita gente um impeditivo em beber água é ter que acordar de madrugada para ir ao banheiro. Se isso for o seu bloqueio para beber água, programe sua ingestão de líquidos para até as 20h considerando que vá dormir às 23h.

Procure tomar água durante o dia para que o organismo se hidrate nos momentos de maior calor, e com isso estar bem durante a noite, podendo até ter um sono sem interrupções.

velhicecomcarinho.blogspot.com.br

Check up antes de começar a praticar exercícios em 2016

Começo de ano é uma época de promessas. E entre as mais populares está a antológica “este ano, chega de preguiça: vou começar a praticar exercícios”. OK, essa é uma excelente ideia, pois o esporte é fundamental para uma vida saudável, seja ele qual for. Mas sair do sedentarismo direto para uma rotina de exercícios físicos intensos pode ter feito inverso, com até risco de morte. Por isso, fazer um check up antes de começar a praticar exercícios é uma ação fundamental para sua saúde.

“A atividade física regular muda a vida de uma pessoa para melhor. A tendência é que tudo melhore: sono, alimentação, disposição, capacidade de atenção. A questão é que cada pessoa tem o seu limite, especialmente quando falamos do coração. Então um check up destinado a sua capacidade de se exercitar tem de ser feito obrigatoriamente antes do início das atividades”, explica a Dra. Tatiana Hirakawa, diretora clínica e cardiologista do dr.consulta.

A especialista acrescenta que o foco do check-up fitness é o coração. “Avaliamos todo o estado de saúde do paciente, mas o coração precisa ser especialmente avaliado já que o risco de uma morte súbita, infarto ou derrame são os eventos mais temidos quando falamos em exercícios físicos”, revela.

Ainda segundo a cardiologista, prevenir é a melhor forma de cuidar a saúde. “Se por acaso a pessoa começa uma rotina de esporte e tem algum problema, o tratamento com certeza será bem mais longo e custoso – inclusive do ponto de vista financeiro – do que se o paciente tivesse investido em um check up e estabelecido uma rotina de exercícios alinhada aos seus limites físicos”, finaliza.

Check up por perfil

Essencial – checa hipertensão, diabetes, tireoide – homens e mulheres de qualquer idade.
Plus cardio – essencial + avaliação cardiológica mais profunda.
Plus homem – essencial + diagnóstico de câncer de próstata para homens com mais de 50 anos.
Plus mulher vitalidade – essencial + diagnóstico de câncer de colo de útero e mama – para mulheres com menos de 40 anos.
Plus mulher experiência – essencial + diagnóstico de câncer de colo de útero e mama para mulheres com 40 anos ou mais.
Fitness – para quem quer iniciar rotina de exercícios físicos.
Kids – anemia, odontologia, oftalmologia – indicado para crianças.

O dr.consulta é uma rede de clínicas médicas que oferece consultas e exames de forma ágil, atenciosa e acessível para famílias sem acesso ao sistema de saúde. Médicos talentosos e bem equipados, concepção de serviços centrada no paciente e o uso inteligente de tecnologia contribuem para uma experiência de atendimento respeitosa e resolutiva. Assim o paciente economiza tempo e recursos, e consequentemente desfruta de uma vida mais saudável e feliz. Fundada em 2011, a rede tem 10 unidades em operação (Sacomã, Jabaquara, São Bernardo do Campo, Nove de Julho, Tatuapé, Diadema, Santo André, Tucuruvi, República e Teodoro Sampaio), nas quais é possível agendar com rapidez exames de laboratório, exames de imagem e consultas em mais de 30 áreas médicas, como ginecologia, oftalmologia, cardiologia, dermatologia e otorrinolaringologia. O dr.consulta é uma prova de que serviços médicos de qualidade podem estar ao alcance de todos, desafiando a ideia de que o acesso à saúde qualificada é algo caro ou inatingível.

Pelo pioneirismo e qualidade de atendimento, o dr. consulta vem sendo agraciado por uma série de instituições. A rede de clínicas é parte do Projeto Visão de Sucesso – iniciativa da Endeavor que fomenta o empreendedorismo de impacto social – recebeu o prêmio Trip Transformadores 2015 pelo trabalho de promover o avanço coletivo; e foi reconhecido na categoria Empreendedorismo da premiação “Excelência da Saúde” da revista Healthcare Management, também este ano. Completam a lista de reconhecimento da rede, o Prêmio Lide de Empreendedorismo 2015 e Men of the Year da Revista GQ Brasil.

As unidades do dr.consulta estão capacitadas a realizar check up para pacientes de todos os perfis, inclusive crianças (confira lista completa abaixo). Atualmente, o dr.consulta está no Sacomã, Jabaquara, São Bernardo do Campo, Nove de Julho, Tatuapé, Diadema, Santo André, Tucuruvi, República e Teodoro Sampaio. Informações e agendamentos podem ser feitos por meio do http://www.drconsulta.com/ ou pelo telefone (11) 2065-1329.

O que você deve saber sobre AVC

Os números são impressionantes: de acordo com a Organização Mundial de AVC (WSO, na sigla em inglês), uma a cada seis pessoas no mundo terá um episódio de acidente vascular cerebral (AVC) ao longo da vida. No Brasil, os dados são ainda mais alarmantes: em média, a cada cinco minutos um brasileiro morre por AVC, totalizando mais de 100 mil mortes por ano.
Mesmo quando não provoca a morte, o acidente vascular cerebral pode ser devastador na vida da pessoa atingida. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o AVC é a maior causa de incapacidade em todo o mundo. Entre as sequelas que podem ocorrer após um episódio de AVC estão a perda de força de membros, alterações visuais, de equilíbrio, da fala, declínio da atividade cognitiva, dor e até mesmo depressão.
O acidente vascular cerebral ocorre quando um vaso sanguíneo que leva sangue e nutrientes para o cérebro para de funcionar, seja por obstrução (acidente vascular cerebral isquêmico) ou por rotura causando hemorragia (acidente vascular cerebral hemorrágico). Quando isso acontece, uma parte do cérebro não recebe mais o sangue e oxigênio que necessita e células cerebrais começa a morrer. A extensão e localização do dano cerebral determina a gravidade do AVC, que pode variar de leve a fulminante.
Qualquer pessoa está suscetível a um episódio de acidente vascular cerebral, independente de idade ou sexo. Poucas pessoas sabem mas mesmo crianças podem sofrer um episódio de AVC. Os fatores de risco são diferentes entre crianças e adultos, mas os sinais de alerta são praticamente os mesmos.
“Poucas pessoas reconhecem os sintomas de um AVC, que incluem dormência, fraqueza ou paralisia de um lado do corpo, fala arrastada ou dificuldade em articular e compreender palavras, visão subitamente enublada ou perda de visão, instabilidade ou desequilíbrio e dor de cabeça”, alerta o neurologista Christian Naurath, médico neurologista e intensivista do Hospital Barra D’Or.
A partir do início dos sintomas, o tempo para tratamento do AVC é precioso. Milhões de células cerebrais morrem a cada minuto em um AVC não tratado. Por isso, quanto mais rápido for o atendimento prestado à vítima, maior a probabilidade de se evitar um AVC potencialmente fatal, bem como a de diminuir o risco de sequelas. “Quanto mais rápido a pessoa acometida chegar ao hospital maiores as chances do tratamento ser bem sucedido”, ressalta Naurath.
A rapidez no atendimento é o fator que determina a sobrevivência e a qualidade de vida após um episódio de acidente vascular cerebral. Por isso, conhecer seus fatores de risco de ter um AVC e saber reconhecer os sintomas é a principal arma para o combate a este problema.
O que você deve saber sobre AVC
  • Qualquer pessoa pode ter um episódio de AVC, independente de idade ou sexo;
  • É possível reduzir o risco de sofrer um episódio de AVC por meio do autoconhecimento de seus fatores de risco e da manutenção de hábitos de vida saudáveis;
  • É importante reconhecer os sinais de um possível AVC para se ajudar e ajudar a familiares;
  • Tempo é precioso! Quanto mais rápido o paciente for atendido, menores os riscos de um episódio de AVC.
Principais Fatores de risco para um AVC
  • Pressão alta
  • Diabetes
  • Colesterol alto
  • Obesidade
  • Tabagismo
  • Uso de drogas
  • Arritmias e outras doenças cardíacas
Como reduzir o risco de um AVC
  • Conheça os seus próprios fatores de risco e trate-os
  • Seja ativo e faça atividade física regularmente
  • Mantenha uma dieta saudável rica em frutas, vegetais e fibras e com pouco sal, para se manter saudável e com pressão arterial baixa
  • Limite o consumo de álcool
  • Evite o hábito de fumar. Se você é fumante, procure ajuda e pare imediatamente
  • Aprenda a reconhecer os sinais de alerta do AVC.
Como reconhecer um AVC
A Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares orienta que o teste abaixo é uma maneira fácil de lembrar e reconhecer os primeiros sinais do AVC:
  • Sorriso – Peça para a pessoa sorrir e veja se sua boca está torta.
  • Abraço – Veja se a pessoa consegue levantar os dois braços.
  • Música – Peça para a pessoa falar e veja se a fala está arrastada ou complicada.
  • Urgente – Se você identificar qualquer um destes sinais, vá com urgência para um hospital preparado para receber casos de AVC e/ ou ligue imediatamente para o SAMU (192).

Perder ou manter o peso hoje é mais difícil do que há 30 anos

Um estudo divulgado recentemente pela revista Atlantic traz um pouco de luz àquela sensação que muita gente reclama de que, na época dos pais, todo mundo comia de tudo, pouca gente frequentava a academia e, mesmo assim, não se via tanta gente com sobrepeso.

Sim, há uma razão científica para isso. Segundo a pesquisa, feita por pesquisadores da Universidade de York, em Toronto, é mais difícil hoje para um adulto manter o peso do que era 20 ou 30 anos atrás, mesmo os que ingerem a mesma quantidade de calorias e se exercitam.

Os autores do estudo examinaram os dados da dieta de 36.400 americanos entre 1971 e 2008, além da atividade física de 14.419 pessoas entre 1988 e 2006.

Conclusão: uma pessoa em 2006 que consumia a mesma quantidade de calorias e nutrientes (como proteína e gordura) e praticava exercícios com a mesma frequência que alguém em 1988 tinha, assim mesmo, um IMC (índice de massa corpórea) até 2,3 pontos maior.

Em outras palavras, os adultos de hoje são 10% mais pesados que os dos anos 80, mesmo comendo a mesma quantidade e praticando exercícios.

A pesquisa aponta algumas razões pelas quais era mais fácil ser magro há 30 anos do que hoje:

1. Substâncias químicas

As pessoas estão mais expostas a substâncias químicas que funcionam como indutores do ganho de peso. Pesticidas, conservantes e outras substâncias presentes em alimentos industrializados estão alterando nossos processos hormonais e aprimorando a maneira que nossos corpos têm de manter o ganho de peso;

2. Medicamentos prescritos

O uso de medicamentos de uso controlado cresceu em níveis alarmantes desde os anos 70 e 80. Prozac, um dos antidepressivos mais populares nos EUA, surgiu em 1988. Esse tipo de droga são as mais prescritas nos Estados Unidos e também no Brasil e estão diretamente ligadas ao ganho de peso;

3. Hormônios e antibióticos

Outro motivo apontado pelos autores do estudo é que o microbioma dos americanos pode estar mudando desde os anos 80.

Os adultos de hoje consomem mais carne do que seus pais e avós e muitos produtos animais são tratados com hormônios e antibióticos para acelerar o desenvolvimento e garantir a produção em larga escala.

São essas substâncias que podem estar mudando as bactérias que habitam nosso intestino e nos tornando mais propensos à obesidade.

Fonte: Marie Claire

Saiba como se livrar do torcicolo

Uma noite mal dormida ou passar horas em uma posição ruim contribui para o surgimento de uma dor intensa na região do pescoço conhecida como torcicolo. A dor pode limitar o movimento do pescoço e causar tensão na região cervical que pode se espalhar para a musculatura dorsal.

O problema não possui uma causa totalmente esclarecida. Mas, pode estar associada a um traumatismo na coluna cervical ou nos músculos do pescoço. Ou também pode ser consequência de infecções na área da cabeça ou no pescoço como tumores, infecções no sistema nervoso, hipertiroidismo.

O torcicolo pode acometer qualquer pessoa de faixas etárias diferentes. Geralmente, ele é mais comum em pessoas entre 30 e 60 anos e que apresentam um histórico familiar.

Os sintomas do torcicolo não são difíceis de serem identificados, podemos destacar: dor de cabeça, dor no pescoço, um ombro mais alto que o outro e rigidez dos músculos do pescoço. No caso congênito, o indivíduo pode sentir inchaço dos músculos do pescoço.

Torcicolo tem tratamento?

“Para aliviar a dor e recuperar a amplitude dos movimentos, a primeira medida pode ser medicamentosa. Mas, se você sente dores na região do pescoço com frequência é recomendado buscar tratamentos alternativos.”, explica Regina Santos, massoterapeuta do Fit Body Pilates Spa & Estética.

Entre os métodos indicados para se livrar do problema é a acupuntura. A prática terapêutica é chinesa e criada há mais de dois milênios. O procedimento consiste na estimulação de locais anatômicos sobre os pontos de acupuntura por meio de agulhas.

Mas, dependendo do caso o profissional pode utilizar a técnica de acupressão que é feita com os dedos. Após um diagnóstico minucioso, o acupunturista irá aplicar as agulhas. As agulhas permanecem no local entre 30 a 40 minutos e após a sessão o paciente já pode sentir o alívio e o músculo mais relaxado.

Como prevenir o torcicolo?

Confira algumas dicas para prevenir o torcicolo:

  • Mantenha uma boa postura no dia a dia;
  • Se você trabalha com computador procure manter a tela na altura dos olhos evitando uma tensão na região cervical;
  • Evite dormir de bruços ou no sofá;
  • Ao dormir tente manter a cabeça alinhada com a coluna, usando travesseiros adequados;
  • Se perceber o desconforto em uma posição corporal, mexa-se.

Avaliação clínica antes de iniciar prática de atividade física

Entrar em forma e manter a saúde em dia é um desejo de grande parte dos brasileiros.E uma das maneiras de conseguir um resultado satisfatório e prazeroso é a corrida de rua. Mas antes de dar o pontapé inicial na atividade física que conta com mais de 6 milhões de adeptos no Brasil, é necessário passar por uma Avaliação Clínica de Pré-Participação (APP).

“Nessa avaliação, o médico vai solicitar exames de acordo com a idade para verificar a possibilidade de presença de doenças e com a intensidade da atividade, variando desde lazer, passando por amador até profissional”, explica Luiz Augusto Lavalle, médico cardiologista do Hospital São Vicente – FUNEF, de Curitiba (PR).

Nos casos mais simples, além da avaliação clínica inicial, são realizados eletrocardiograma, hemograma completo, glicemia de jejum, ureia e creatinina, lipidograma completo e ácido úrico. “Hepatograma (TGO, TGP, gama-GT, bilirrubinas, TAP/INR), exame de urina e exame parasitológico de fezes completam a lista”, detalha o especialista.

Já os exames funcionais, como o teste de esforço, ecocardiograma de estresse e cintilografia, são indicados para atletas ou pessoas com mais de 60 anos de idade.

“Fora desse quadro, a necessidade de exames funcionais vai depender dos resultados da Avaliação Clínica Pré-Participação. Se houver alguma normalidade na APP, pode resultar em outros tipos de exames cardiológicos e não cardiológicos”, lembra Lavalle.

Atestado liberatório

O cardiologista do Hospital São Vicente – FUNEF salienta que ao final da avaliação o médico terá de fornecer ao paciente um atestado de aptidão ou liberatório para as corridas. Neste atestado, deverá constar o tipo de esporte para o qual a pessoa está apta de acordo com uma classificação específica que leva em conta a estática e a dinâmica da modalidade. “Não há nada que substitua a avaliação clínica inicial”, completa o médico.

Exames obrigatórios na Avaliação Clínica de Pré-Participação (APP)

  • Eletrocardiograma;
  • Hemograma completo;
  • Glicemia de jejum, ureia e creatinina;
  • Lipidograma completo;
  • Ácido úrico;
  • Hepatograma (TGO, TGP, gama-GT, bilirrubinas, TAP/INR);
  • Exame de urina;
  • Exame parasitológico de fezes.

Exames obrigatórios para pessoas acima de 60 anos ou atletas:

  • Teste de esforço;
  • Ecocardiograma de estresse;
  • Cintilografia.

Luiz Augusto Lavalle, cardiologista do Hospital São Vicente- FUNEF.
oDebate.com.br

Seis medidas fáceis de adotar para cuidar do coração

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a doença cardiovascular (DCV) é a principal causa de morte no mundo, com 30% dos óbitos globais. No Brasil, 350 mil pessoas morrem por DCV, por ano. Destas, 1/3 são por infarto e o colesterol alto é o principal fator de risco.

Estes dados assustadores comprovam a importância de cuidar do coração que, com a correria do dia-a-dia, acaba sendo deixada de lado junto a hábitos simples e fáceis de adotar, mas que podem fazer toda a diferença para a saúde cardiovascular.

Elizabeth Vargas, nutricionista da Unilever, recomenda seis super dicas para quem quer contribuir com a saúde do coração, podendo prevenir doenças cardiovasculares como AVC, colesterol alto, infarto, entre outras. Anote e coloque em prática agora mesmo!

Eu me mexo muito!

Se você caminhar 30 minutos todos os dias já será o suficiente para trazer benefícios. Outra dica é, se você trabalha sentado por muito tempo, procure ficar por 5 minutos em pé, a cada hora. O sedentarismo faz com que menos calorias sejam gastas, favorecendo a obesidade em todas as faixas etárias.

Alguns dos benefícios da atividade física incluem: redução do colesterol ruim e aumento do bom, ajuda na manutenção do peso corporal, fortalece a musculatura, mantém os níveis corretos de glicose no sangue, promove liberação de substâncias que proporcionam prazer e ajuda no controle da ansiedade.

Meu peso está saudável?

O excesso de peso pode provocar aumento da pressão arterial e dos níveis de glicose no sangue. Uma maneira de acompanhar se seu peso esta adequado é realizar o cálculo do IMC (Índice de massa corpórea) que indica se seu peso esta proporcional a sua altura. Mas, é importante sempre procurar um acompanhamento médico e de nutricionista para saber a melhor forma de se manter no peso ideal.

Não fumo, obrigada!

Fumar aumenta o risco de desenvolver infarto e AVC. E não é só o coração que fica prejudicado: os pulmões, a bexiga e o pâncreas também podem ser afetados.Entre as mais de 4.700 substâncias nocivas presentes no cigarro, a nicotina é a responsável pela dependência, que é maior do que a de drogas como a cocaína e a heroína.

Faço meus exames de rotina

Faça exames de rotina ao menos uma vez ao ano, mesmo sendo uma pessoa saudável, para saber os valores da sua pressão arterial, níveis de colesterol e glicose. Para tal, procure um clínico geral, endocrinologista ou um especialista de sua preferência, que possa avaliar suas condições físicas e psicológicas, além do seu estilo de vida, e indicar os exames mais adequados para o seu caso.

Quando as doenças são tratadas de forma preventiva, as chances de que o problema possa ser controlado, ou até mesmo evitado, são grandes. Proteja-se!

Xô estresse

Quando muito freqüente ou muito intenso, o estresse pode evoluir e causar alterações no organismo, facilitando o aparecimento ou agravamento de doenças. Portanto, para o estresse não atrapalhar sua qualidade de vida, lembre-se de desenvolver e aplicar técnicas como meditação, ioga, exercícios físicos, respiração, planejar e realmente tirar suas férias, entre outras atividades que te dão prazer.

Você é o que você come!

Uma alimentação equilibrada, rica em fibras e com pouca gordura, sal e açúcar beneficia o coração e evita o acúmulo de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos, elevação da pressão arterial e aumento da glicose no sangue. Opte sempre por cremes vegetais ricos em gorduras “boas” como as mono e poliinsaturadas.

Essas seis medidas super fáceis de adotar podem ajudar a fortalecer seu coração e evitar doenças cardiovasculares.

ODebate.com.br

5 dicas para melhorar a memória

Importante para todos os aspectos da vida, a memória às vezes falha ou então não é capaz de guardar detalhes, mesmo que a pessoa queira ou precise. Porém, vários estudos têm mostrado que para reverter esse quadro e dar mais tempo de vida útil à memória, é indispensável desafiá-la sempre mais, para que ela possa estar trabalhando ativamente.

Confira algumas dicas trabalhar seu cérebro e melhorar a memória.

  • Faça um curso de memorização. Em um curso de memorização, os estudantes aprendem técnicas exclusivas e comprovadas para tornar a absorção de conteúdos imediata e melhorar a memória. É ideal para todas as idades, e muito recomendado para quem precisa memorizar muitas informações em pouco tempo, pois vai prestar um concurso, por exemplo.
  • Mude a rotina. Trocar de caminho para ir ao trabalho, degustar novos pratos e mudar pequenos detalhes da rotina fazem o cérebro se desafiar constantemente, o que ajuda a processar melhor as informações novas e melhorar a memória.
  • Associe pessoas. Um dos grandes problemas enfrentados por quem tem a memória ruim é esquecer o nome das pessoas. Para evitar constrangimentos, a dica é associar os nomes e fisionomias a outros aspectos. Se o João for associado a um ator de mesmo nome, por exemplo, ao rever o conhecido João, a memória automaticamente lembrará do famoso e você se recordará do nome da pessoa.
  • Converse consigo. Esquecer se realizou alguma tarefa ou não, como tomar remédios, também é bastante comum e pode ser resolvido com uma simples conversa consigo mesmo. Depois de terminar uma tarefa, o ideal é falar para si “fiz o arroz” ou “tomei o comprimido A”, dessa forma, o cérebro terá duas maneiras de memorizar: pela tarefa e pela fala.
  • Soletre palavras. Uma maneira bastante eficaz e divertida de movimentar o cérebro e melhorar a memória é pensar em várias palavras e soletrá-las normalmente e depois de trás para frente, sem ter contato visual. Isso irá testar a memória sobre a grafia das palavras e irá ajudar em outros momentos do dia a dia.

5 dicas para conservar a saúde auditiva

Cuidados com a saúde auditivaO que é saúde auditiva? Andréa Varalta, fonoaudióloga da Direito de Ouvir Amplifon – empresa que pertence a um grupo que é líder mundial em soluções auditivas – explica que “é conservar a audição de forma saudável para que se possa manter a capacidade de ouvir até a terceira idade.”

No entanto, Andrea afirma que o conceito de saúde auditiva nem sempre é seguido à risca. “Por causa da poluição sonora e dos muitos ruídos a que estamos expostos – trânsito, ouvir música com fones de ouvido e outras fontes de som alto – muitas vezes a perda auditiva pode começar a ocorrer antes da chegada da terceira idade, fase em que essa diminuição é até esperada”.

A fonoaudióloga aconselha que um especialista seja procurado assim que qualquer perda auditiva seja percebida, mesmo que seja pequena, independentemente da idade. “Inicialmente, pode ser que nem haja uma intervenção possível, mas essa perda precisa ser monitorada”, diz. Continue reading ‘5 dicas para conservar a saúde auditiva’ »

Homens têm mais pedras nos rins que mulheres

Pedras nos rinsSegundo urologista do Hospital Samaritano de São Paulo, a litíase – conhecida popularmente como pedras nos rins, acomete mais homens, entre os 20 e 40 anos.

Dados divulgados revelam que o cálculo renal acomete 15% da população, sendo aproximadamente duas vezes mais comum em homens do que em mulheres, principalmente entre os 20 e 40 anos. “O quadro clínico também pode apresentar sangue na urina – urina vermelha, além de vômitos e febre”, explica Dr. Alexandre Crippa, urologista do Hospital.

O especialista informa também que, como característica, o indivíduo costuma sentir forte dor aguda repentinamente, que independe da posição ou movimentação, geralmente na região lombar e unilateral”. E completa, a suspeita de cálculo é feita através da história e quadro clínico e, a comparação do diagnóstico geralmente é pela tomografia computadorizada, sem uso de contraste. Este exame também define o tamanho e a localização do cálculo, o que influenciará no tipo de tratamento”.

O tratamento na fase aguda de dor- é feito a base de analgésicos e, dependendo da localização do cálculo e do tamanho, pode-se esperar pela eliminação de forma natural. Continue reading ‘Homens têm mais pedras nos rins que mulheres’ »

Como mulheres podem evitar as doenças cardiovasculares?

Exercicios físicos reduzem o risco de doenças cardiovasculares em mulheresNas últimas décadas, houve um aumento significativo da incidência de doenças cardiovasculares na mulher, em especial na doença arterial coronariana (DAC). Dados recentes apontam que essa é a causa de 36,9% das mortes de mulheres. A faixa etária do aumento da mortalidade cardiovascular da mulher ocorre, em média, dez anos após a do homem e isso se explica, parcialmente, pelo papel protetor do hormônio estrogênio, que se mantém presente até a época da menopausa.

A hipertensão arterial é o principal fator de risco para doenças cardiovasculares, tanto nas mulheres pré-menopausa quanto pós-menopausa. Durante o período fértil, a mulher é menos hipertensa que o homem, devido aos elevados níveis de estrógeno ou pela menor viscosidade e menor volume sanguíneo associadas às perdas menstruais mensais.

Além disso, neste mesmo período pré-menopausa, a hipertensão na gravidez é relativamente frequente e a pré-eclâmpsia é uma das principais causas de mortalidade materna quando evolui para formas mais graves. Em contrapartida, após a menopausa, há um declínio nos níveis de estrogênios, associados com alterações no metabolismo lipídico, aumento da adiposidade central e desenvolvimento de obesidade, aumentando assim a hipertensão arterial nas mulheres, de tal forma que a sua prevalência se torna maior que as dos homens da mesma idade.

A mudança do padrão de vida das mulheres talvez explique, em parte, a ocorrência de dados tão alarmantes: ao lado das responsabilidades tradicionais com a casa, filhos, marido e parentes idosos, as mulheres adquiriram as responsabilidades que antes se destinavam aos homens, como o trabalho fora do lar. Continue reading ‘Como mulheres podem evitar as doenças cardiovasculares?’ »

Como cuidar da saúde dos pés

Com o calor a preocupação com o cuidado e embelezamento dos pés volta a fazer parte da rotina de homens e mulheres, praticamente esquecidos nas outras estações do ano. Época de desfilar com eles à mostra, ninguém quer fazer feio, seja na praia ou na cidade. Acima de tudo, é preciso cuidar da saúde dos pés durante todo o ano.
Explorados diariamente, os pés são à base de sustentação do nosso corpo e, por isso, merecem ser lembrados no calor ou no frio. De acordo com a podóloga e sócia-proprietária do Differenza Espaço de Beleza (Rua Guia Lopes, 921 – Centro, em Caxias do Sul), Liamara Pereira, a pele dos pés é naturalmente mais grossa, principalmente na planta, pois acumula mais células mortas e cria calosidades facilmente.  Dessa forma, seu cuidado deve ser redobrado. Para ajudar nisso, a caxiense tira algumas dúvidas e ensina como fazer esfoliação e escalda pés caseiros.
O que fazer para deixar a pele dos pés macia?    
Para deixar a pele macia o ideal é prevenir usando cremes específicos para os pés durante o ano todo, mas como na maioria das vezes isso não acontece, o recomendado seria fazer um tratamento de nutrição mais elaborado com profissional da área, e uma manutenção em casa, à noite, com cremes a base de óleos essenciais (líquidos extraídos de plantas, utilizados na medicina alternativa, como aromaterapia) e manteiga de karité.  Se quiser potencializar o resultado, basta passar o creme e envolver os pés em sacos plásticos. É importante lembrar que a ingestão de água também ajuda a manter a pele hidratada.
Uma boa alternativa para deixar os pés relaxados são os escaldas-pés. É possível prepará-los em casa?           
No mercado existem saches prontos e específicos para escaldar os pés que podem ser substituídos por uma receita caseira. O primeiro passo é esfoliá-los com uma mistura mais consistente de mel e açúcar tipo cristal ou um hidratante com um pouco de açúcar cristal ou sal marinho. Massageie os pés, após, retire o excesso da mistura e submerja-os na água quente até os tornozelos (a temperatura não deve passar dos 38°C, para evitar queimaduras e desconfortos). Nesta água acrescente sal grosso (desinchaço), camomila (calmante) e óleos essenciais de lavando ou menta (efeito revigorante).  Também podem ser acrescentas pétalas de rosas (cromoterapia) e bolinhas de gude no fundo da bacia para promover uma massagem.
Deixe os pés de molho, de 15 a 20 minutos, e, após, passe neles uma mistura de glicerina líquida, óleo de amêndoas ou semente de uva, ou outro creme nutritivo e de consistência mais firme de sua preferência. Envolva os pés com papel filme e deixe-os envolto por, no mínimo, 20 minutos.
É recomendado lixar os pés?  
Não. O ideal é fazer somente uma esfoliação semanal. Caso haja necessidade de lixá-los, isso deve ser feito, pelo menos, com uma distância quinzenal e a tradicional lixa deve ser substituída por uma pedra pomes.
O que fazer com as rachaduras e como evitá-las?            
Rachaduras são portas de entrada para infecções. Quando muito profundas, o ideal é procurar um podólogo, que irá avaliar e indicar um tratamento adequado. Em casos mais brandos, o uso de cremes a base de uréia e óleo de semente de uva podem resolver a situação. Para evitá-las, o ideal é não andar com pés descalços, evitando o contato com a poeira.
Quais são os problemas mais comuns no verão e como evitá-los?    
O risco de contrair patologias de pele no verão é maior, por isso, devemos redobrar os cuidados. As principais doenças são:
  • Pé de atleta: contraída por meio de fissuras na pele, umidade constante e uso de calçados fechados no verão.
  • Bicho geográfico: presente nas fezes dos gatos ou cachorros, entra na pele pelo contato na areia ou terra.
  • Bicho de pé: tipo de pulga presente na areia e em áreas rurais.
  • Alergias: são causadas  pelo uso de calçados de borracha, plástico ou até mesmo couro, em função do suor excessivo que favorece o aparecimento de fungos.
Hoje já existem diversos calçados forrados com algodão e proteções específicas para evitar o contato direto com os pés. Além disso, o uso de cremes a base de silicone criam um escudo de revestimento extra, inclusive para bolhas, que ajudam na prevenção.
Como evitar micoses e o tão temido chulé?
O suor com cheiro desagradável, vulgo chulé, é causado pela umidade excessiva e o calor, que causam a proliferação de bactérias. Para contê-lo lave e seque bem os pés entre os dedos e evite encharcar os calçados de talco comum, já que o pó combinado com o suor se transforma em lama dentro do calçado e libera mau cheiro. Se possível, troque o talco comum por uma versão líquida ou em spray ou talco anti-séptico e, então, polvilhe pequenas quantidades. Cortar as unhas regularmente, evitar o uso meias de material sintéticos e colocar os calçados no sol ou em área ventiladas depois de usados, eliminando a umidade, também ajudam na prevenção.  Tendo esses cuidados você evitará também as micoses.
Para quem faz caminhada, você sugere meias especificas?              
Eu sugiro os mesmos cuidados do tópico acima, aliado a meias anti-bolhas. Além disso, é aconselhável fazer um escalda pés depois de caminhadas e corridas.
O uso de tênis e meias inadequados acarreta em algo prejudicial?
Os problemas, geralmente, ocorrem em função do impacto de longas distâncias percorridas com meias e calçados inadequados, que podem causar micoses, bolhas, odores, lesões nas unhas e até mesmo problemas posturais.
O que fazer com as bolhas e calosidades e como evitá-las?     
As bolhas devem ser estouradas somente se estiverem causando dor. O ideal é furar e drenar o líquido, sem retirar o teto (pele), já que ela serve como um curativo biológico que protege contra infecções, além do repouso, para evitar o atrito sobre elas. É importante ficar atento aos sinais de infecção (quando a região estiver quente, muito vermelha ou com secreção) e, nesses casos, procurar um médico. Para evitá-las o uso de tênis e meias adequados são os mais indicados. Além disso, existem no mercado protetores específicos para os dedos e calcanhares e também gel anti-bolhas.
 Já as calosidades são causadas pelo atrito, especialmente, devido ao uso de salto alto e sapatos apertados. Para tratá-las deve-se consultar um podólogo para fazer a retirada dos mesmos e a indicação do melhor tratamento.
O uso de esmaltes danifica as unhas?  
O uso de esmaltes em si não prejudica, mas o uso contínuo sim. O ideal é dar uma pausa de uma semana e hidratar as unhas com óleos (semente de uva ou amêndoa) e ceras nutritivas especificas, assim, evitando que elas fiquem porosas e quebradiças. Caso não seja possível, retire o esmalte dois dias antes de nova esmaltação e hidrate as unhas.
De quanto em quanto tempo é indicado a ir a um podólogo?   
Primeiramente devemos saber a diferença entre as profissões de manicure/pedicure e podólogo. O profissional manicure/pedicure é responsável por cuidados externos e higiênicos, estando mais ligadas a parte de embelezamento, ou seja, tirar cutícula, lixar e esmaltar. Já o podólogo trata das afecções superficiais, como unhas encravadas, calos, calosidades, micoses, entre outros, atuando como um agente preventivo dessas patologias e indicando tratamentos ou encaminhando para médicos especialistas. É indicado ir a um podólogo a cada 20 ou 30 dias e ao manicure/pedicure a cada 15 dias, considerando a necessidade de cada um.
Quem tem diabetes, os cuidados devem ser redobrados?        
Os diabéticos devem ter cuidados redobrados com os pés, pois apresentam menor circulação sanguínea, mais riscos na formação de úlceras, infecções e disfunções motoras. Como prevenções existem calçados especiais, macios e com ajustes em diversos pontos, que evitam machucar os pés trazendo assim menos complicações. Para ajudar no cuidado, sugiro sempre olhar no interior do sapato, verificando a existência de pedras ou objetos que possam vir a ferir a pele e também o acompanhamento de um especialista, como um podólogo.
Sobre o Differenza Espaço de Beleza. Inaugurado em 2007, o Differenza Espaço de Beleza surgiu da união das irmãs Inajara e Liamara Pereira. Focadas na busca da satisfação do cliente, as empreendedoras gaúchas tem como marca registrada a inovação. Com mais de 20 anos de experiência no ramo beauty, a dupla é reconhecida por seu impecável trabalho e por ser pioneira na implantação do inédito espaço de beleza exclusivo para crianças e da primeira barbearia retrô de Caxias do Sul.

Colesterol e a saúde do coração

Com a correria do dia a dia e dos inúmeros compromissos, nem sempre conseguimos ter uma bela noite de sono. O dia parece pequeno e realizar uma alimentação balanceada combinada com a prática de exercícios físicos parece algo impossível. O fast-food, a vida sedentária e as horas em frente ao computador tornam-se rotineiras, debilitando dia após dia a nossa saúde silenciosamente, causando enormes prejuízos.

O colesterol alto é um desses prejuízos. Para alertar, a Associação Americana do Coração, divulgou um novo estudo sobre o colesterol alto e revelou que a cada dez anos em que uma pessoa vive com a taxa de colesterol elevada, o risco de sofrer uma doença do coração aumenta em cerca de 40%. É indiscutível a relação direta entre os níveis de colesterol e a saúde do coração.

Foram analisados dados de 1.478 adultos sem doenças cardiovasculares aos 55 anos. Os pesquisadores calcularam o tempo em que cada um deles tinha o colesterol elevado e o risco de sofrer um infarto ou derrame.

Entre os 389 voluntários que viviam com o índice elevado de um a dez anos, a probabilidade era de 8,1%. Já entre os 577 voluntários que tinham colesterol alto de onze a vinte anos, o risco subia para 16,5%. Dos participantes que não tinham problemas de colesterol, 512, o risco era de 4,4%.

A Associação ainda ressaltou que a cada década de exposição ao colesterol elevado, a probabilidade de sofrer uma doença cardiovascular crescia em 39%, sugerindo que o malefício do colesterol elevado é cumulativo.

A B2 Saúde divulgou o alerta aos seus associados e explicou as diferenças entre o colesterol que é bom e o que mau para o organismo.

As siglas HDL e LDL sempre confundiram os pacientes submetidos a exames. Mas afinal, o que significa isso?

HDL – Lipoproteína de alta-densidade  é boa para o seu coração. Ela carrega colesterol das suas artérias para o seu fígado, onde é eliminada.

LDL – Lipoproteína de baixa-densidade é ruim para o seu coração. Ela carrega colesterol do seu fígado para seus tecidos do corpo. Se houver muito LDL, ou colesterol ‘ruim’ no seu corpo, ele pode se acumular nas células e nas artérias.

 

Sobre a B2 Saúde. Há 15 anos no mercado de gestão de saúde. Hoje, tem como diferencial um software inovador, que aliado a uma equipe de médicos completa e a um call Center eficiente completam a Carelink, uma empresa do grupo especializada em gestão de riscos, que prevê os custos com a saúde do funcionário com antecedência e intervém de maneira ética no trabalho do médico de forma que o paciente tenha o melhor atendimento de maneira rápida, eficaz e econômica.