Viajante deve estar vacinado contra gripe e febre amarela

Viajante deve estar vacinado contra gripe e febre amarelaCom a proximidade das férias de julho e o aumento das viagens no período, a MAPFRE Assistance, que oferece o SEGURVIAJE, alerta para a importância de estar imunizado contra algumas doenças antes de decolar – um detalhe esquecido por muitos turistas. Para alguns destinos, a vacinação contra a febre amarela é obrigatória, já quem vai para estações do esqui precisa se proteger contra a gripe.
A febre amarela é uma doença viral, transmitida por meio da picada de mosquitos transmissores infectados (entre eles, o Aedes aegypti), que ocorre principalmente na América do Sul e África. “Recomenda-se tomar a vacina com um intervalo mínimo de dez dias antes da viagem, pois é o tempo necessário para formação de anticorpos para proteção contra a doença”, ressalta José Geraldo Barbosa Jr., médico responsável pelo atendimento do SEGURVIAJE. Para manter a imunização, o especialista informa que são necessárias doses de reforço a cada dez anos. A vacina é oferecida gratuitamente pela rede pública de saúde.

O médico alerta também para que o viajante se informe sobre a presença ou não da doença no destino, consultando um especialista ou os núcleos de atendimento ao viajante. “Em regiões endêmicas, é indicado usar roupas que cubram a maior parte do corpo sempre que possível. Recomenda-se ainda aplicar regularmente repelentes, lembrando de nuca e orelhas e repetindo a operação sempre que molhar o corpo ou entrar na água, de quatro em quatro horas ou a cada duas horas, se estiver transpirando muito”, afirma. Durante a noite, a utilização de mosquiteiros é uma boa opção.
O sintoma inicial da febre amarela é dor de cabeça, que pode ser seguida por febra alta, calafrios, olhos congestionados, vômitos e icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos). Em casos mais graves, o infectado pode ter hemorragias, delírios e convulsões.
Áreas de risco
De acordo com o Ministério da Saúde, os locais de risco para febre amarela no Brasil são as áreas de matas e rios de todos os estados das regiões Norte e Centro-Oeste, e de parte do Nordeste – como Maranhão, sudoeste do Piauí, oeste e extremo-sul da Bahia -, do Sudeste – Minas Gerais, oeste de São Paulo e norte do Espírito Santo – e do Sul – oeste do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. “No Brasil, é necessário estar com a carteira nacional de vacinação em dia”, explica o médico da MAPFRE Assistance.
Em casos de viagens internacionais, para determinados destinos, o passageiro deve portar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), que comprova a vacinação contra a febre amarela e informa o tempo de validade da vacina. O documento pode ser obtido em um Centro de Orientação de Viajantes (http://www.anvisa.gov.br/viajante/). A Organização Mundial da Saúde disponibiliza uma lista de países em que a vacinação contra febre amarela é indispensável (acesse aqui). “Vale ficar atento também às escalas. Os Estados Unidos, por exemplo, não exigem a vacina contra febre amarela, no entanto, se por algum motivo o passageiro fizer escala no Panamá e cruzar os portões de embarque, ele deve ter em mãos a CIVP”, lembra Sandro Barbosa, superintendente de Distribuição MAPFRE Assistance.