Dormir é um ótimo remédio

No Brasil, os problemas do sono atacam mais pessoas do que se pode imaginar. Quando se fala em saúde, é comum pensar apenas nas funções do organismo operando adequadamente durante o dia, enquanto as pessoas estão acordadas. Mas pouca gente considera que parte dos problemas de saúde enfrentados no dia a dia pode ser consequência da má qualidade do sono. Da insônia que não passa até um ronco aparentemente inofensivo, há muitos motivos para se preocupar também com a intensidade do sono.

Em primeiro lugar porque é necessário alcançar o sono profundo para que o organismo comece a liberar hormônios de crescimento e recuperar as células e os órgãos. A sensação agradável de acordar com disposição só é possível quando se atinge esse estágio, mais conhecido por sono restaurador. Em segundo, porque alguns problemas desencadeados durante o sono podem tornar-se mais graves, como é o caso da apneia, responsável pelo ronco. Ela pode resultar até mesmo em problemas cardíacos sérios para o paciente.

No Brasil, os problemas do sono atacam mais pessoas do que se pode imaginar. Há estudos que mostram que 70% dos brasileiros têm dificuldades constantes para dormir. E esse índice ainda foi agravado durante a pandemia, quando os casos de ansiedade e estresse cresceram consideravelmente. Para piorar, não são todos que recorrem a um profissional adequado para realizar uma terapia do sono.

E o problema deve começar a ser encarado como prioridade, pois as consequências de quem sofre com insônia costumam ser ansiedade, estresse e até problemas como diabetes, demência e obesidade. Um estudo recente, publicado na conceituada revista Annals of Behavioral Medicine, afirma que uma única noite sem dormir já é o suficiente para fragilizar a saúde física e mental de um indivíduo.

Embora os tratamentos mais comuns no país estejam comumente associados aos fármacos da classe dos benzodiazepínicos, como os ansiolíticos e hipnóticos, há meios mais naturais e saudáveis para se trabalhar a melhora da qualidade do sono. Os métodos de relaxamento, alguns chás e medicamentos naturais e a mudança de alguns hábitos, como evitar usar as telas pouco antes de dormir, são alguns exemplos eficazes para essa mudança.

Também é importante adequar o ambiente para propiciar a chegada gradativa do sono. Deixar o quarto com pouca luminosidade e livre de barulhos externos é essencial para iniciar um descanso com qualidade. Sobretudo para quem sofre de insônia, essas práticas podem ser o start para melhorar a recomposição física do corpo, garantindo o fortalecimento necessário para ter uma vida plena logo nas primeiras horas do dia.

Lucas Vilela, Gestor comercial do Grupo First, responsável pela You Saúde.