É possível controlar o estresse!

É possível controlar o estresse!

Compartilhe

Zele por sua alimentação. Uma alimentação sadia inclui proteínas, frutas, vegetais, cereais, feijões e laticínios. Cuidado com as farinhas refinadas e as gorduras saturadas. Modere seu consumo de sal, açúcar refinado, álcool e cafeína. Uma melhora na sua alimentação talvez o deixe menos sujeito ao estresse.

Exercícios. De fato, exercícios moderados, porém regulares — alguns recomendam três vezes por semana — fortalecem o coração, melhoram a circulação, abaixam o colesterol e reduzem a chance de ataque cardíaco. Mais ainda, os exercícios promovem o bem-estar, provavelmente por causa das endorfinas que são liberadas durante a atividade vigorosa.

Durma o suficiente. A falta de sono leva à exaustão e diminui a sua capacidade de controlar o estresse. Se tiver dificuldades de dormir, tente recolher-se e levantar-se sempre na mesma hora. Alguns recomendam que as sonecas se limitem a 30 minutos, para não prejudicar o sono à noite.

Seja organizado. Quem organiza bem o seu tempo tem muito mais facilidade de controlar o estresse. Para ser organizado, determine primeiro que responsabilidades merecem prioridade. Daí faça uma programação, para não negligenciar nenhuma delas.

Busque apoio. Nos períodos de estresse, uma rede de amigos oferece pelo menos certa medida de proteção contra sentir-se vencido. Ter nem que seja um único confidente de confiança pode ser decisivo.

Resolva os conflitos. Um estudo feito com 929 sobreviventes de ataques cardíacos revelou a sabedoria de resolver logo as desavenças, em vez de abrigar a ira. Nos dez anos seguintes ao primeiro ataque, aqueles que apresentavam altos índices de hostilidade corriam um risco três vezes maior de morrer de parada cardíaca do que os demais, de temperamento brando. Para os autores do estudo, embora a ira pareça ser o fator mais acentuado, qualquer emoção negativa intensa, que descarregue torrentes de hormônios de estresse no organismo, pode ter o mesmo efeito.

Tire tempo para a família. Certo estudo revelou que alguns casais que trabalham fora gastam em média apenas 3,5 minutos diários brincando com os filhos. No entanto, a família pode ser de tremenda ajuda na luta contra o estresse. “A família lhe dá uma incondicional condição de ‘sócio privilegiado’ num grupo de apoio emocional que sabe como você é e gosta de você assim mesmo”, diz um livro sobre estresse. “Trabalho de equipe em família é um dos melhores meios de reduzir o estresse.”

Seja razoável. Quem vive sempre no limite de sua capacidade física e emocional é candidato quase certo à estafa e, talvez, à depressão. A chave é o equilíbrio. Aprenda a recusar demandas que excedam ao que você possa razoavelmente atender.

Não se compare com outra pessoa. Nunca dë ouvidos a comparações desfavoráveis, exigindo mais do que as nossas circunstâncias individuais permitam. Temos que aprender a conhecer e respeitar nossos limites e não nos comparar com pessoas que talvez tenham melhores condições e circunstâncias.

Tire tempo para relaxar. Mesmo quando você estiver muito ocupado,. com sua agenda cheia, encontre tempo para o descanso. O prazer equilibrado pode reanimar o corpo e ajudar a afastar o estresse.

Aprenda de circunstâncias estressantes. É verdade que reduzir o estresse em geral não é mera questão de seguir uma fórmula simples. Em muitos casos, é preciso uma mudança fundamental no modo de pensar. Por exemplo, a pessoa talvez tenha de aprender novas maneiras de reagir às suas circunstâncias, para que estas não a esmaguem. Em alguns casos de freqüência ou de intensidade de estresse pode ser necessário buscar ajuda médica qualificada.