Esteatose Hepática e hábitos saudáveis

Esteatose Hepática e hábitos saudáveis

Compartilhe

A Esteatose Hepática não alcoólica ou gordura no fígado como é popularmente conhecida, é uma doença que acontece quando as células do fígado são infiltradas por células de gordura, chegando ou ultrapassando o limite de 5% .

Estima-se que 40% da população ocidental sofre desta doença e quando verificamos em diabéticos, este número sobe para 80%. Vale dizer também que Mulheres têm um risco maior de desenvolver excesso de gordura no fígado, tendo em vista que o hormônio estrógeno, produzido naturalmente pelo corpo feminino, propicia o acúmulo dessa gordura.

Você sabe a importância do fígado?

O fígado é o órgão responsável pela produção da bile, que é a responsável por ajudar na digestão de alimentos; É o fígado que faz transporte de colesterol LDL e HDL; Também é ele que faz o processamento de hormônios e medicamentos, armazenamento e liberação da glicose, destrói as células vermelhas defeituosas e é ele que faz a limpeza do nosso organismo através da eliminação de resíduos tóxicos.

Dito isso, devemos dizer que a Esteatose Hepática é uma doença muito silenciosa, portanto, muito perigosa, já que o fígado é capaz de aguentar décadas de sobrecarga sem dar sinal algum. Ou seja, as pessoas acometidas de esteatose hepática, no geral, não sentem nada e só são diagnosticados quando fazem algum exame de imagem ou de sangue.

“A Gordura visceral está associada ao aumento de doenças cardiovasculares, aumento da insulina e da glicemia, hipertensão e síndrome metabólica. Qualquer excesso de gordura corporal é perigoso, mas a gordura visceral é um fator de risco ainda maior do que a gordura subcutânea”, diz a Dra. Bruna Marisa, médica endocrinologista, especialista em emagrecimento.

A obesidade, o excesso de peso e os hábitos e estilos de vida inadequados, são responsáveis hoje por 60% dos casos de gordura no fígado, afirma a Dra. Bruna que segue dizendo: “O problema da Esteatose hepática ser uma doença silenciosa é que nesse meio-tempo, o­ risco de doenças cardíacas e vasculares aumenta muito. Além do mais, a gordura no fígado pode causar hepatite e dentro de alguns anos, evoluir para cirrose, câncer de fígado e suas consequências como o transplante hepático”

A boa notícia é que, se detectado antes da evolução do quadro para uma cirrose hepática ou câncer, o tratamento consiste em três pilares básicos:

  • Estilo de vida saudável
  • Alimentação equilibrada
  • Prática regular de exercícios físicos.

Uma mudança no estilo de vida é a única coisa que vai tratar a raiz da causa do problema a fim de se obter um resultado satisfatório. Por isso, são raros os casos em que há necessidade de medicamentos.

Vale a pena repensar agora o estilo de vida que você está levando. A Esteatose hepática é só mais uma das diversas doenças relacionadas com o excesso de peso ou obesidade, tais como a diabetes, apnéia do sono, síndrome dos ovários policísticos, síndrome metabólica, entre outras.

 

Dra. Bruna Marisa Soares é especialista em Clínica Médica, pós graduada e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia; Especialista em Emagrecimento; Pós Graduada em Medicina Ortomolecular e possui cursos de Medicina Esportiva, onde atua.